Rússia toma controle da maior usina nuclear da Europa; Ucrânia acusa de "terrorismo nuclear"

04/03/2022


Foto: Reprodução/G1

 

Autoridades ucranianas afirmaram hoje que forças russas assumiram o controle da usina nuclear de Zaporizhzhia, localizada em Energodar, no sudoeste do país, e considerada a maior do tipo na Europa. Este é o nono dia da invasão russa ao território ucraniano.
 
De acordo com o regulador nuclear da Ucrânia, as forças militares russas tomaram a usina de Zaporizhzhia na manhã desta sexta-feira. O exército russo ocupou a área da usina nuclear e não há nenhum vazamento radioativo detectado, de acordo com a agência de inspeção de usinas atômicas ucraniana.
 
No entanto, a Rússia responsabilizou a Ucrânia, dizendo que militares do país incendiaram um prédio da usina. Os russos alegam que controlam a central nuclear desde o final de fevereiro.
 
O temor em razão do ataque à usina era sobre o que poderia acontecer. O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, disse que, se ela explodisse, seria "dez vezes maior que Chernobyl".
 
O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, declarou que Moscou apelou para "terrorismo nuclear" ao bombardear a usina e que os russos quererem "repetir" a tragédia nuclear de Chernobyl, ocorrida em 1986.
 
A agência informou ainda que "funcionários operacionais controlam os blocos de energia e garantem seu funcionamento de acordo com as exigências das regulamentações técnicas e de segurança". Dos seis reatores, o primeiro está fora de operação, os números 2, 3, 5 e 6 estão em processo de resfriamento e o 4 permanece em operação.