Biden sobre guerra no Leste Europeu: “liberdade vencerá a tirania”

02/03/2022


Foto: socialismocriativo.com.br

 

Em seu primeiro discurso no parlamento norte-americano sobre a guerra entre Rússia e Ucrânia, o presidente Joe Biden foi enfático ao falar sobre as ações bélicas empreendidas pelas tropas russas no país vizinho. De acordo com o democrata, Putin cometeu um “erro de cálculo” ao invadir a Ucrânia e que a “liberdade vencerá a tirania”. 

 

Na exposição aos congressistas, Biden ainda falou sobre as medidas restritivas que estão sendo adotadas em relação ao governo russo, sobretudo no que concerne ao âmbito econômico. Nesse sentido, o mandatário americano ressaltou que os Estados Unidos fechariam seu espaço aéreo a aeronaves russas, da mesma forma como fizeram União Europeia e Canadá nos últimos dias.

 

Em relação a Putin, Joe Biden o classificou como “ditador”, e afirmou que o conflito bélico foi uma ação premeditada pelo presidente russo. "Ao longo de nossa história, aprendemos esta lição - quando os ditadores não pagam um preço por sua agressão, geram mais caos. Continuam se movendo. A guerra de Putin foi premeditada, e não provocada. Ele rejeitou repetidamente os esforços de diplomacia. Pensou que o Ocidente e a Otan [Organização do Tratado do Atlântico Norte, aliança militar da qual os Estados Unidos fazem parte] não responderiam. E pensou que poderia nos dividir em casa. Putin estava errado. Estávamos prontos”, disse Biden. 

 

O mandatário norte-americano também responsabilizou Putin pela guerra, salientando que seu rival ficará isolado no que tange à diplomacia internacional. No que concerne à Ucrânia, Biden relatou a capacidade de resiliência de seu povo e mencionou uma conversa que teve com o presidente Volodymyr Zelensky, justamente no sentido de encontrar forças neste momento de dificuldades.

 

Por fim, Biden deixou claro que os Estados Unidos não vai interferir no confronto no Leste Europeu, a não ser que a Rússia adote uma estratégia de expansão militar para outras nações que são filiadas à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Presente no auditório, Oksana Markarova, embaixadora da Ucrânia nos Estados Unidos, foi aplaudida de pé.