Ex-embaixadora ucraniana no Brasil manda recado para Jair Bolsonaro: “queremos ajuda”

01/03/2022


Foto: noticias.uol.com.br

 

Em entrevista ao UOL News, nesta terça-feira, Fabiana Tronenko, ex-embaixadora ucraniana no Brasil, comentou sobre a ratificação de um posicionamento neutro por parte do governo brasileiro em relação ao confronto bélico entre Rússia e Ucrânia. De acordo com Tronenko, não há necessidade de que o Brasil “pegue em armas” para ajudar o povo ucraniano, mas que assuma uma “postura mais firme no que tange a uma ajuda humanitária”. 

 

Além do envio de um auxílio, a ex-embaixadora ainda fez um pedido direto ao presidente Jair Bolsonaro, sobretudo no que se refere ao estabelecimento de um contato direto entre ele e o presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky. "A gente acredita que vai ser um aceno de apoio à Ucrânia. Você não está comprando uma briga com os russos. Você está simplesmente entre uma briga de dois amigos e dizendo que ele não está correto", ressaltou. 

 

No último domingo, Bolsonaro, que está passando o feriado de Carnaval em praias do interior de São Paulo, afirmou publicamente que o governo brasileiro manterá uma atitude neutra no que concerne à guerra no Leste Europeu. Conforme palavras do atual chefe do executivo federal, “tomar partido” neste momento poderia gerar consequências negativas para o país, principalmente de ordem econômica. 

 

No que se refere à retirada de brasileiros que estão na Ucrânia, Bolsonaro salientou que disponibilizou aviões para a “missão de resgate”. "Até o momento, já conseguimos levar cerca de 50 brasileiros para países vizinhos, incluindo jornalistas, estudantes, empresários e atletas. Também coloquei meus ministros, assessores e a diplomacia brasileira a serviço da evacuação de brasileiros por vias terrestres", publicou o mandatário em seu perfil no Twitter.