De acordo com o The Times, 400 mercenários russos estão em Kiev para matar o presidente ucraniano

28/02/2022


Foto: super.abril.com.br

 

De acordo com informações do jornal britânico The Times, divulgadas nesta segunda-feira, 400 mercenários russos teriam chegado em Kiev, capital da Ucrânia, para assassinar o presidente Volodimir Zelensky. Conforme relatado pelo periódico, o grupo foi acionado diretamente pelo Kremlin, sede do governo russo, com a missão de matar o mandatário ucraniano e assumir o controle do país vizinho. 

 

Ainda segundo o The Times, os mercenários foram mandados à Kiev por intermédio da organização paramilitar denominada de “Grupo Wagner”, a qual atua sob o comando de Yevgeny Prigozhin, um dos aliados do presidente da Rússia Vladimir Putin. Nesse sentido, os supostos assassinos teriam sido recrutados pelo Grupo Wagner do continente africano há cinco semanas e matariam Zelensky em troca de uma recompensa em dinheiro. 

 

Tendo recebido no último sábado (26) a informação da possível chegada desses mercenários, o governo ucraniano determinou uma busca minuciosa para capturar os membros do grupo. Ademais, na semana passada, os Estados Unidos emitiram um alerta sobre um possível atentado contra a vida de Zelensky e se colocou à disposição para ajudá-lo na saída do país.

 

O mandatário ucraniano, no entanto, em resposta ao governo norte-americano, ressaltou que não abandonará o país, além de ter deixado claro que “precisa de armas” e não de um “plano de fuga”. "Estamos todos aqui, nossos militares estão aqui, os cidadãos, a sociedade, estamos todos aqui, defendendo nossa independência, nosso Estado", declarou em vídeo.