Fim do celibato para os padres? Cardeal alemão avalia

03/02/2022


Foto: istoe.com.br

 

Nesta quinta-feira, em entrevista ao jornal Süddeutsche Zeitung, o cardeal alemão Reinhard Marx falou sobre um assunto polêmico dentro da ortodoxia católica, que é o celibato religioso. De acordo com o líder cristão, “o modo de vida celibatário é precário e é difícil viver sozinho”. 

 

Reinhard, que é uma das figuras mais importantes do catolicismo alemão e cuja diocese foi alvo de polêmicas sobre casos de abusos sexuais, ressalta que a permissão para o casamento de padres seria um dos caminhos para resolver esses problemas de ordem sexual. "Seria melhor para todos criar a possibilidade para padres celibatários e casados. Para alguns padres, seria melhor se fossem casados. Não apenas por razões sexuais, mas porque isso seria melhor para suas vidas e eles não se sentiriam sozinhos", declarou. 

 

O cardeal, o qual é arcebispo de Munique e Freising e foi presidente da Conferência Episcopal Alemã de 2014 a 2020, indagou sobre o fim dessa tradição, além de suscitar a possibilidade do celibato não ser um requisito para todos os eclesiásticos. "Creio que as coisas não podem seguir como estão. A sexualidade faz parte do ser humano", disse. 

 

Perguntado sobre os episódios de abuso sexual, o cardeal, embora admita a existência dos crimes, afirma que é importante não generalizar a relação desses fatos com a noção de celibato. "Mas esse modo de vida também atrai pessoas que não são adequadas, que são sexualmente imaturas. A sexualidade faz parte do ser humano e ela nunca desaparece", disse Marx. Sempre digo isto aos sacerdotes jovens: viver sozinho não é tão fácil”. 

 

Uma investigação independente examinou casos de abusos sexuais que aconteceram na arquidiocese de Munique e Freising de 1945 a 2019 e encontrou indícios de pelo menos 497 vítimas. Nesse sentido, foram investigados 235 suspeitos de terem cometido os crimes, dos quais 173 eram padres.