Ministro da Saúde da Inglaterra sobre avanço da Ômicron: “se espalha em um ritmo fenomenal”

13/12/2021


Foto: midiamax.uol.com.br

 

Nesta segunda-feira, Sajid Javid, ministro da Saúde da Inglaterra, fez uma avaliação sobre o avanço da Ômicron no país. De acordo com ele, a variante do coronavírus, a qual já é responsável por 40% das infecções em Londres, capital inglesa, se espalha em um “ritmo fenomenal”. 


O Reino Unido, que detectou os primeiros casos da variante em novembro, apresentou, só no último domingo, 1.239 novos casos da ômicron, elevando o total detectado para 3.130, o que representa 65% a mais que os 1.898 acumulados até o dia anterior. Sobre isso, Javid salienta: "O que sabemos sobre a ômicron é que ela está se espalhando a um ritmo fenomenal, algo que nunca vimos antes, as infecções [pela variante] estão dobrando a cada dois ou três dias. Isso significa que estamos diante de um maremoto de infecções, estamos novamente numa corrida entre a vacina e o vírus”.  


Em consonância com a opinião da comunidade científica internacional, a qual ressalta que a eficiência da vacina contra infecções sintomáticas é significativamente menor contra a ômicron para quem recebeu duas doses, Sajid Javid orienta que, embora os sintomas da cepa sejam possivelmente mais leves, se o governo não agir, o sistema de saúde poderá ficar sobrecarregado. "Mesmo quando um vírus é ameno, uma pequena porcentagem de pessoas de um grande número [de infectados] ainda pode equivaler a um número elevado de hospitalizações. Duas doses não são suficientes, mas três doses ainda oferecem excelente proteção contra infecções sintomáticas", declarou. 


Logo após a recomendação dos especialistas em aumentar o nível de alerta da população em relação à Ômicron, o primeiro-ministro Boris Johnson foi a público para afirmar que o processo de vacinação deverá ser fomentado e que os cidadãos devem colaborar com a proteção da “liberdade e do modo de vida” da nação. "Sabemos, a partir de uma experiência amarga, como essas curvas exponenciais de desenvolvimento funcionam. Todos com mais de 18 anos aptos a serem vacinados na Inglaterra terão a chance de receber a dose de reforço antes do Ano Novo", disse o chefe de governo, que classificou como “emergência” a disseminação da ômicron pelo país.