Moro sobre Lula e Bolsonaro: "o brasileiro não deve votar no candidato do mensalão ou da rachadinha"

03/12/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: opovo.com.br

 

Nesta sexta-feira, em entrevista a um programa da Rádio Jornal, o ex-juiz Sérgio Moro, recém-filiado ao Podemos para disputar o pleito presidencial, apresentou suas propostas de campanha e voltou a criticar seus principais adversários no pleito, Lula e Bolsonaro.  Durante a conversa, o ex-ministro da Justiça classificou a presidência dos rivais como governos “do mensalão” e da “rachadinha”. 


De acordo com Sérgio Moro, que está lançando o livro “Contra o Sistema da Corrupção' no Teatro Positivo”, em Curitiba, o brasileiro não deveria dedicar o seu voto a candidatos que, em suas atuações à frente da nação, foram marcados por episódios de corrupção. "O brasileiro não pode ser obrigado a escolher um governo que no passado foi marcado por dois escândalos de corrupção, o Mensalão e o petrolão, e o atual governo, da rachadinha", ressaltou o presidenciável. 


Durante sua filiação ao Podemos, Moro, que se tornou, por motivos diferentes, inimigo público dos principais favoritos na corrida ao Palácio do Planalto, já tinha deixado claro que sua campanha seria pautada pelas críticas contundentes aos adversários, sobretudo no que se refere ao combate à corrupção. "Chega de corrupção, chega de mensalão, chega de petrolão, chega de rachadinha. Chega de orçamento secreto. Chega de querer levar vantagem em tudo e enganar a população", ratificou na cerimônia de filiação.


Em relação à possibilidade de ter como vice o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, Moro confirmou o estabelecimento de conversas iniciais, mas adotou um tom de cautela na definição de um nome para composição de chapa. "O ministro Joaquim Barbosa é um grande quadro... Eu acabei falando com ele, para ouvir suas ideias, ele é um grande nome. Nós estamos apenas conversando. Acho que ele tem condição de ser o quiser no país. Ele liderou o mensalão", salientou o ex-juíz de Maringá. Segundo informações da assessoria do Podemos, Moro e Barbosa devem se encontrar nos próximos dias.