"Vacina da Pfizer pode ser adaptada no combate à Ômicron", diz presidente da BioNTech

03/12/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: bloomberg.com

 

Nesta sexta-feira, durante o evento Reuters Next, Ugo Sahin, presidente-executivo da BioNTech, fez uma análise sobre a ação da nova variante da covid-19 no mundo, a Ômicron. De acordo com o chefe do laboratório de biotecnologia alemão, a vacina da Pfizer, desenvolvida pela empresa, pode rapidamente ser adaptada ao vírus. 


Segundo Sahin, apesar das mutações que essa variante apresenta, as quais geram preocupação por parte da comunidade científica internacional, as vacinas em circulação devem oferecer proteção contra elas. O imunizante da Pfizer é um dos que trabalham com a tecnologia de RNA mensageiro. 


Em consonância ao discurso de Sahin, o vice-presidente de vacinas para mercados internacionais, Ralf Rene Reinert, também demonstra otimismo em relação à eficácia da Pfizer, mas adota um tom mais cauteloso. “Não esperamos uma queda significativa da eficácia. Mas, novamente, isso é especulação. Vamos verificar isso. Teremos os dados nas próximas semanas”, disse o executivo.


Ainda conforme palavras de Reinert, por duas ocasiões, no que concerne às cepas Belta e Delta do Coronavírus, a BioNTech trabalhou na confecção de um novo imunizante, mas chegou a conclusão de que a vacina original era suficiente para proteger o organismo humano. Durante as próximas semanas, o laboratório fará essa avaliação a respeito da Ômicron. “Não é que começamos do zero. Sabemos o que temos que fazer”, declarou Reinert.