"Essa foi a CPI do Renan Calheiros", afirma Bolsonaro

27/10/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: diariodocentrodomundo.com.br

 

Em entrevista à TV Jovem Pan News, o presidente Jair Bolsonaro fez uma avaliação acerca do resultado do relatório final da CPI da Covid, em que ele foi indiciado por nove crimes durante sua condução na crise socioeconômica instaurada pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com o atual chefe do executivo federal, o trabalho da comissão foi uma “palhaçada”.


Como forma de embasar seu argumento em relação à CPI, Bolsonaro direciona seus ataques sobretudo ao relator Renan Calheiros, com quem travou um duelo particular em âmbito público. Segundo o mandatário, o político alagoano, o qual já presidiu o Senado da República, não agiu de maneira imparcial, mas motivado por “vingança”.


Ainda no que tange ao seu posicionamento crítico em torno da CPI, o mandatário da nação não se referiu ao número de mais de 600 mil brasileiros mortos pela doença, mas apontou que o estabelecimento da comissão representou um abalo na imagem do Brasil no exterior. "Agora para a imagem fora do Brasil, a imagem é péssima [que seria produzida pela CPI]. Acham que vivemos numa ditadura, que estou prendendo jornalista, que estou cerceando a liberdade de expressão, que matei gente na covid. Isso influencia, gente que quer investir no Brasil não investe, gente que quer fazer turismo não faz. Prejudica todos nós, mexe na Bolsa, no preço do dólar, vai para os combustíveis, vai para a inflação", afirmou. 


Ao citar a oscilação econômica, supostamente provocada pela CPI, Bolsonaro, que tem convivido com críticas frequentes pelo aumento progressivo no preço da gasolina, negligenciou que na semana passada a variação da Bolsa de Valores e do dólar comercial aconteceu em reação à sinalização de estouro no teto de gastos para bancar o Auxílio Brasil, fato que suscitou uma debandada da equipe técnica econômica.