CALDAS DA RAINHA, D. Leonor a Bordalo…

02/10/2021

Por: LILIANA BORGES
 
CALDAS DA RAINHA, D. Leonor a Bordalo…
 
 
Caldas da Rainha é mais uma bela cidade portuguesa, sede do Concelho que leva o mesmo nome inserido no Distrito de Leiria com 50.898 habitantes (2021), a cerca de 93 km de Lisboa localizada na Região Centro do país.
 
Diz a história que a origem da cidade foi em decorrência de uma viagem da Rainha D. Leonor em 1484, cujo trajeto foi de Óbidos a Batalha e ao passar na região percebeu muita gente a tomar banho naquele local, causando-lhe estranheza devido o odor forte da água, logo questionou qual seria o motivo e foi informada sobre os poderes curativos daquelas águas.
 
A Rainha aproveitou a oportunidade para se banhar e aferir a veracidade da história, pois dizem que convivia com algumas enfermidades na sua pele. Ficou curada e daí determinou a construção de um Hospital Termal para todos que precisassem do tratamento. Ademais fundou um povoado beneficiando os moradores com isenção de impostos, estendeu aos mercadores de fora que laboravam na localidade. Situando na história, D. Leonor foi esposa do Rei D. João II, o monarca quem assinou o Tratado de Tordesilhas com Castela, o qual dividiu o novo mundo pelos reinos ibéricos. 
 
A região é rica em argila que possibilitou, posteriormente, o desenvolvimento da indústria de cerâmica, considerada atualmente um dos principais centros do país, notadamente se distinguiu com as criações de Rafael Bordalo Pinheiro que iniciadas na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha. Ele foi um renomado artista (1846-1905) em vários segmentos como caricaturista, ceramista, decorador, entre outros. 
 
Bordalo é autor da representação popular do “Zé Povinho”, símbolo do povo desta nação. E, ainda, criou outros ícones relacionados a cultura portuguesa, pois em1891 moldou em cerâmica alguns exemplares de andorinhas que passaram a decorar inúmeros ambientes por todo o país e, as graciosas sardinhas de faianças (forma de cerâmica) também no século XIX.
 
Tive a oportunidade de conhecer o Museu de Cerâmica, instalado na Quinta Visconde de Sacavém, criado em 1983, é uma bela propriedade com um suntuoso palacete tardo-romântico recheado com exposição permanente de peças de vários artistas que complementa seu esplendor os belos jardins ao estilo do final do século XIX, periodicamente, realiza exposições temporárias e oferece oficinas de cerâmica abertas ao público. 
 
No centro da cidade está o Parque D. Carlos I que seu nome é em homenagem ao monarca que governou Portugal em 1889 até seu assassinato em 1908, ao longo de seus passeios podemos chegar a vários pontos da cidade em agradáveis percursos. Este parque foi construído no século XVIII próximo ao Hospital Termal objetivando disponibilizar aos doentes um lugar agradável onde poderiam caminhar enquanto seu restabelecimento.
 
Em frente ao Parque está o adorável SANA Silver Coast Hotel e como por aqui tudo termina em história, no seu interior está exposto um “Landau” no mesmo modelo em que seguia a Família Real na altura do regicídio de D. Carlos I e do Príncipe D. Luís Felipe. Era uma carruagem de luxo utilizada em cerimônias oficiais, um tipo de coche alemão originário da cidade que lhe deu o nome conduzido por um colcheiro e podia ser puxado por dois ou quatro cavalos.
 
Curiosamente o Rei D. Luís ao visitar a Fábrica do ceramista Manuel Mafra, pediu-lhe para fazer um objeto divertido para entreter os seus amigos e um operário que lá trabalhava, João Pereira (o Bandlho), criou o falo para o monarca, vulgarmente conhecido como “caralho”, assim, tornou-se um ícone na cidade que a princípio era de cerâmica e atualmente tem muitas variedades como em forma de biscoitos, chocolates, doces…
 
Quanto a culinária se destaca a doçaria como as “trouxas de ovos”, as “cavacas”, as “lampreias de ovos” e os “beijinhos. Diariamente na Praça da República acontece uma feira de produtos de excelente qualidade entre frutas, legumes, grãos, iguarias da região e muitos mais. É realizada desde o final do século XIX, simplesmente espetacular, enchem nossos olhos e nosso paladar…
 
A região é muito voltada para a arte onde possui ensino superior com a Escola Superior de Artes e Design do Instituto Politécnico de Leiria, como também, o ensino profissional o Centro de Formação Profissional para a Indústria Cerâmica. Graciosa cidade conhecida por suas águas termais, afamada pelos seus artistas, ceramistas e artesãos, como também, rica pelo seu patrimônio histórico, museus e cultura a flor da pele…