“Moro tem grandes serviços prestados à nação”, afirma ex-ministro Marco Aurélio

22/09/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: oglobo.globo.com

 

Em entrevista à Carta Capital, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Melo fez um balanço sobre o cenário político no Brasil, além de comentar sobre a relação tumultuada entre o executivo e o judiciário. De acordo com o ex-membro da suprema corte, que se aposentou em julho deste ano ao completar 75 anos, é preciso ter confiança nas instituições democráticas, as quais garantirão o acontecimento do pleito presidencial em 2022.


No que concerne aos temas de maior relevância envolvendo a ação do poder judiciário, Marco Aurélio, em dissonância à decisão dos seus ex-colegas, se posicionou contrário à suspeição do ex-ministro Sérgio Moro, no caso do julgamento do ex-presidente Lula nos processos da Lava-Jato. Segundo ele, o ex-juiz “tem relevantes serviços prestados à nação” e "pela primeira vez o país presenciou um combate à corrupção independentemente da capa do processo".


Conforme as palavras do ex-ministro, a culpa pela crise institucional vivida pelo país é de responsabilidade conjunta entre executivo e judiciário. Ademais, Marco Aurélio, no que tange à disputa eleitoral para a Presidência da República, demonstrou ser favorável ao surgimento de uma “terceira via”, isto é, um nome que possa concorrer em condições de igualdade contra a tendência de polarização entre Lula e Bolsonaro nas urnas.


As declarações de Marco Aurélio foram feitas ainda em repercussão aos atos do Dia da Independência, quando os adeptos do governo de Jair Bolsonaro saíram às ruas, sobretudo em Brasília e São Paulo, para atacarem às instituições republicanas. Para o ex-ministro, apesar das ameaças à democracia, ela é suficientemente forte para resistir e garantir a posse do novo mandatário no ano que vem.