Violência política ou doméstica?

28/07/2021

Por: Otávio Albuquerque
Foto: vejasp.abril.com.br

 

Na última semana, o marido da deputada federal (PSL-SP) Joyce Hasselman, o médico Daniel França, afirmou que é inocente no que se refere à possibilidade de que teria agredido a sua esposa no apartamento onde moram em Brasília. O fato aconteceu na noite do último dia 18 e sua motivação ainda se constitui como um mistério para a justiça.


Em tom de desabafo, o médico negou categoricamente as agressões, além de contar com o apoio de Joyce, que ameaçou quaisquer pessoas que coloquem em dúvida suas declarações sobre o caso. “Eu nunca agredi ninguém, nunca dei um tapa em ninguém, nem um murro em ninguém. Não tenho nenhum motivo para fazer isso, eu jamais faria isso”, ressalta o médico.


De acordo com os relatos da parlamentar à Polícia Legislativa e ao Ministério Público, após sofrer os ataques, ligou para o esposo, o qual prontamente a socorreu em seu quarto. Em consonância a esse depoimento da deputada, quando chegou ao cômodo, Daniel França conjecturou sobre a cena: “como não há absolutamente nenhum sinal de luta corporal, eu imagino [que] ou ela caiu já sem consciência contra algum obstáculo ou ela teve sua consciência retirada [por meio de alguma substância] e daí foi agredida”, sugeriu o marido da parlamentar.


A deputada, a qual atualmente faz forte oposição ao governo Bolsonaro, de quem era aliada, insiste em uma narrativa de agressão por motivação política, alegando, inclusive, que já passou às autoridades possíveis nomes que poderiam ter cometido esse ato contra sua integridade física. Além do choque de ter sofrido a violência enquanto supostamente estava dormindo, exames posteriores constataram que Joice teve cinco fraturas no rosto e na costela.