Parlamentares e epidemiologistas criticam Conmebol no Brasil

01/06/2021


Foto: Lucas Figueiredo / CBF

 

O anúncio feito pela Conmebol na manhã desta segunda-feira (31) de que a Copa América seria realizada no Brasil gerou críticas de parlamentares, autoridades e epidemiologistas. Eles alertam os riscos de um torneio deste porte com o país registrando mais de 450 mil mortos e na iminência de uma terceira onda da pandemia . 

A princípio, o torneio seria realizado na Argentina, mas o aumento de casos de Covid-19 obrigou a entidade a suspender os jogos. Hoje, a Argentina ultrapassa a marca de 76 mil mortos.  Antes a Colômbia tinha renunciado ao posto de sede pelo menos motivo, a pandemia.

Pela tarde está previsa uma reunião da Casa Civil para falar sobre os estados-sede.

No twitter, parlamentares fizeram críticas à realização no evento no Brasil e ao governo. 

Baleia Rossi, Deputado federal e presidente nacional do MDB, declarou "Sou corintiano e adoro futebol, mas não tem cabimento o governo do Brasil aceitar realizar a Copa América neste momento. Estamos à beira de uma terceira onda na pandemia."

Marcelo Freixo, deputado federal pelo PSOL do Rio de Janeiro e líder do Bloco da Minoria na Câmara, afirmou: "A Argentina recusou a Copa América por causa do agravamento da pandemia. Lá, a média móvel de mortes nos últimos sete dias foi de 470 pessoas... Aqui, é de 1.844. QUATRO VEZES MAIOR. Esse é o retrato de um governo assassino."

A Copa América de 2021 está prevista para ser disputada entre 11 de junho a 10 de julho. A seleção brasileira realiza o primeiro jogo em 14 de junho contra a Venezuela. O Brasil já foi sede e campeão da última edição do evento em 2019. No ano passado, o torneio foi suspenso devido à pandemia. 

 

Fonte: Congresso em Foco