"A energia solar não pode ser taxada", diz presidente do Movimento Solar Livre

12/04/2021

Por: Redação PN

 

 

         Nesta segunda-feira, no jornal Potiguar Notícias - Primeira Edição, o jornalista Otávio Albuquerque entrevistou Héwerton Martins, presidente do Movimento Solar Livre (MSL), que falou sobre o projeto de lei 5829, que estabelece a acessibilidade de energia solar para todos os brasileiros, além dos benefícios dessa fonte energética como uma alternativa viável aos combustíveis fósseis.

          Segundo o presidente, o Movimento Solar Livre é uma associação que nasceu em 2020, mediante uma proposta da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), que implementava uma taxação na energia solar em 63%. Para ele, a partir dessa proposição, houve uma mobilização nacional por parte de investidores e de trabalhadores que atuam nesse setor, os quais foram até Brasília reivindicar que essa medida não fosse estabelecida.

         Em relação à adesão dos municípios ao MSL, o gestor ressalta: "a nossa proposta parte da premissa do diálogo com os prefeitos e câmaras municipais. Nesse sentido, nas cidades, que é onde moramos e a economia se desenvolve, estamos nos mobilizando, a fim de sensibilizar as autoridades públicas no sentido de que, se taxarem a energia solar, a qual gera empregos mesmo neste período de pandemia, poderão causar um grande estrago na economia local. Portanto, estamos criando, com a colaboração de prefeitos e vereadores,  uma moção de apoio, com o objetivo de enviá-la ao Congresso nacional, para que eles coloquem esse assunto na pauta de votação ainda esta semana".

         No que se refere aos benefícios da energia solar em relação aos combustíveis derivados do petróleo, Héwerton Martins explica: "a questão da preservação do meio ambiente a partir de uma energia limpa é muito importante, sem dúvida. Porém, como isso está caindo em um "desgaste de vocabulário" em nosso país, tentamos também falar à população por meio de outros aspectos mais radicais, que é o da própria sobrevivência do nosso povo mediante o emprego. No Rio Grande do Norte, por exemplo, existem por volta de 3000 empregos gerados por esse setor de atividade, o que torna ainda mais importante essa discussão", finaliza.

 

Para assistir à entrevista, acesse o link: https://youtu.be/gFCW9Cnzwvk