"Os artistas foram os primeiros a serem afetados com a pandemia", diz professor

22/01/2021

Por: Redação PN

         Nesta sexta-feira (22), no jornal Potiguar Notícias - Primeira Edição, o jornalista Cefas Carvalho entrevistou Armando Souza, professor da Oficina Livre de Música, que falou sobre projetos musicais, sobretudo o "Música Potiguar e Seus Artistas, que consiste em lives no instagram com personalidades artísticas locais. O projeto é patrocinado pela Lei Aldir Blanc, Secretaria de Cultura do RN, Fundação José Augusto e Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

         Segundo o professor, a aprovação do projeto Música Potiguar e seus Artistas pelos governos estadual e federal foi fundamental, tendo em vista que os artistas foram os primeiros a serem afetados com a pandemia e serão os últimos a retornarem às atividades, pelo fato de seus espetáculos gerarem aglomerações de pessoas.

          Em relação à ideia das lives, o professor ressalta: "quando houve o decreto para o início da quarentena, ainda em março do ano passado, nós nos reunimos com os professores da escola da Oficina Livre de Música para decidirmos o que poderíamos fazer para minimizarmos os impactos negativos que provavelmente recairiam sobre a empresa. Nesse sentido, a ideia que surgiu foi a de fazer lives com os professores, a princípio, no sentido de levar conteúdo e entretenimento à população que estava confinada em suas residências. Quando fomos aprovados pela Lei Aldir Blanc, decidimos expandir nossas ações para a inclusão dos artistas". 

          No que se refere às aulas remotas na Oficina Livre de Música, o professor salienta: "na verdade, desde 2012 que nós temos um projeto de oferecer aulas virtuais para os alunos. No entanto, estávamos em uma 'zona de conforto', e não imaginávamos que aplicaríamos essa proposta algum dia. Foi necessário, portanto, que a pandemia surgisse para podermos nos reinventar. Quando houve o fechamento das empresas, uma das nossas ideias foi justamente oferecermos as aulas ao vivo através de vídeos pelo Whatsapp. Em outras palavras, dada a necessidade, fomos obrigados a nos manter atualizados e proporcionar aos alunos uma ferramenta didática efetiva", finaliza.