Estudo de dinossauro brasileiro revela doença que também atinge humanos

25/11/2020


Foto: Imagem Hugo

 

 

 

Uma pesquisa realizada pelos paleontólogos Aline Ghilardi e Tito Aureliano, do DinoLab, laboratório do departamento de geologia da UFRN, revelou que há mais de 80 milhões de anos, um titanossauro padecia de osteomielite, uma inflamação  óssea que acomete animais e humanos  até  hoje.

 

Ainda de acordo com os pesquisadores, a doença  estava num estágio  avançado, do qual o osso do dinossauro estava a ponto de necrosar. Além disso, foram encontrados 70 parasitas dentro do osso do animal."Pessoas que tem um trauma, fraturas ósseos na atualidade, podem desenvolver osteomielite" diz Aline.

O Titanossauro, apelidado de Dino Zumbi, devido a sua condição física, era natural da região  sudeste do país. "Estudar esses seres, que passaram tanto tempo na terra, como sobreviveram e foram extintos, pode trazer muitas respostas para as doenças  do presente" relata Tito.

 

O material foi analisado através de tomografia computadorizada, aplicadas  nesse tipo de pesquisa, o que permitiu uma melhor coleta de dados.

" A ciência  tem produzido muito conteúdo muito rápido, devido ao avanço  na tecnologia"  diz Aline.

 

Ainda segundo Aline, é  necessário investimento na área  da paleontologia, ela também espera realizar novas descobertas em fósseis  nordestinos.

"Valorizem a pesquisa do seu país, apoiem seus cientistas" lembra.

 

Você também pode encontrar mais detalhes dessa descoberta no canal do Colecionadores de Ossos e em nosso portal da PNTV https://youtu.be/Lc8GvT8WI5w