O artista potiguar durante a pandemia e o isolamento: Geraldo Carvalho

08/08/2020

Por: CEFAS CARVALHO
 
Cantor, compositor e músico, Geraldo Carvalho é um potiguar que consolidado em terras potis, resolveu alçar voo e se estabeleceu em Brasília, onde há quase dez anos mantém carreira sólida e com shows em outros estados e também na Europa. Em bate papo com o Portal PN, Geraldo falou sobre sua experiência de confinamento, lives, pós-pandemia e apoio a artistas em dificuldades. Confira
 
 
Você é um músico que viaja muito e faz muitos shows. Como está sendo essa mudança no seu ritmo e agenda com a pandemia e o necessário distanciamento social?
 
Tem sido de muita reflexão criativa! Eu já tinha me programado para algumas viagens pelo Brasil e depois Europa, mas vou ter que me reprogramar, enquanto isso procuro, de alguma forma, dar continuidade ao meu trabalho. Tenho feito algumas lives solidárias, para ajudar pessoas necessitadas e em situação de rua, entrevistas online e bate-papos culturais com diversas entidades e colegas de profissão. A situação não está fácil pra maioria das pessoas, em especial para quem trabalha com música, e isso engloba não só os músicos, mas todo pessoal envolvido como roadies, iluminadores, maquiadores, bilheteiros, assessores de imprensa, produtores culturais e muitos outros. Mas não temos muita opção, o jeito é esperar uma vacina ou um milagre! Enquanto isso vamos trabalhando com muita esperança.
 
 
Está conseguindo produzir durante esta quarentena?
 
Sim, tenho lido, visto muito documentário de arte, me aprimorado nas redes sociais, para uma melhor interação com o meu público e escutado muita música e, o mais importante, a inspiração vem batendo forte, com novas composições e parcerias muito ricas e criativas. 
 
 
Esta situação de pandemia e confinamento pode ou vai mudar algo em sua música, em sua arte?
 
Acredito que quando acontece uma situação como essa temos que tirar o melhor proveito, a vida já é uma eterna mudança e em um advento como esse, temos que procurar repensar nossos conceitos e aprimorar aquilo com o que trabalhamos. Acredito que sairemos fortalecidos, cheios de novas ideias!!
 
 
Como acha que será a dinâmica de show e eventos musicais no pós-pandemia?
 
Acho que nada substitui uma apresentação presencial, mas acredito que as lives vão se somar às apresentações físicas, de forma mais significativa. Hoje, com a tecnologia ao alcance de todos, nada impede que um artista faça seu show e ao mesmo tempo o transmita ao vivo  para quem não conseguiu ir e possa colaborar como puder!
 
 
Percebe-se muitos músicos que viviam de shows ao vivo em dificuldades neste momento. Como fazer para apoiá-los?
 
Verdade, tenho pensado muito sobre isso. Tenho visto movimentos de músicos para ajudar outros músicos, isso é muito legal. Temos que buscar cada vez mais alternativas de nos ajudar no meio musical. Mas o poder público precisa se sensibilizar e fazer a sua parte, como também a iniciativa privada, afinal, a arte além de um bom negócio, tem sido um alento nesses tempos de pandemia!