Na Câmara, Fativan faz retrospectiva "do desastre do Governo Taveira neste ano"

19/12/2019


Durante a realização da 132° Sessão Ordinária realizada nesta segunda-feira (16), na Câmara Municipal de Parnamirim, na oportunidade a vereadora Fativan Alves fez uso da tribuna do Plenário Dr. Mario Medeiros, onde fez uma retrospectiva "do desastre administrativo da gestão Taveira".
 
"Infelizmente a saúde pública municipal passa por um verdadeiro caos, quatro secretários já passaram pela pasta, mas não conseguiram desenvolver seus trabalhos, não por falta de competência, sim pelo fato da prefeitura não oferecer condições para que isso aconteça. Desde o inicio dessa atual gestão faltam médicos nas Unidades Básicas de Saúde, em 2017, 29 médicos pediram exoneração, desde então a prefeitura não consegue manter esses profissionais trabalhando em nosso município, além da falta de médicos, faltam também; medicamentos, insumos, fraldas, equipamentos, aparelhos de raio-x, mamógrafos. A maiorias dessas unidades de saúde necessitavam de uma reforma e apenas alguns reparos e pintura foram realizados, maquiando os problemas existentes e deixando a unica Unidade de Pronto Atendimento (UPA), da nossa cidade superlotada", disse.
 
"O desastre administrativo não para por aí! Obras estão inacabadas, exemplo disso é a pavimentação asfáltica da rua Oscar Ramalho de Farias no bairro de Rosa dos Ventos, rua Nozinho Alves no bairro Vale do Sol, rua Antônia Lima de Paiva no bairro Nova Esperança, obras iniciadas e não finalizadas até agora, sempre falam que estão aguardando a licitação", assinalou.
 
Para a vereadora, "Na educação não é diferente, já passaram pela pasta três secretários e os problemas continuam a existir, falta de merenda escolar, gás de cozinha, inclusive professores e funcionários fazem vaquinhas para comprar, faltam professores e auxiliares, as reformas nas escolas também não passaram de maquiagens e em algumas unidades a prefeitura desativou as quadras esportivas, prejudicando as atividades físicas dos estudantes, sem falar que a prefeitura comprou mas não conseguiu instalar os equipamentos de ar condicionado em algumas escolas, devido a falta de estudo técnico na rede elétrica que não suporta o funcionamento dos equipamentos".
 
"No esporte, a tão sonhada reforma do Estadio da Liberdade, não saiu, apesar do recurso destinado pela Câmara Municipal está disponível para a Prefeitura desde de 2017, com isso fica comprovada a incapacidade administrativa da gestão Rosano Taveira, a terceira maior cidade do Rio Grande do Norte passa vergonha com esse desastre administrativo".