Pré-campanha em Parnamirim: Nomes demais, falar sobre a cidade de menos!

16/12/2019

Por: Cefas Carvalho
 
Em Parnamirim só se fala sobre política. Mais especificamente sobre a campanha municipal de 2020 rumo à Prefeitura. De um lado, a candidatura natural á reeleição do prefeito Rosano Taveira (PRB), ainda que sofrendo críticas por parte da população e da classe política e com uma gestão mais "feijão com arroz" que o esperado pelos eleitores. Do outro, um balaio de pré-candidatos entre nomes fortes, nomes sem a devida expressão popular para a disputa e "estranhos no ninho". De tudo um pouco.
Como as pré-candidaturas autodeclaradas ou lançadas por partidos ou pessoas não param de surgir, a conta exata sobre os pré-candidatos, digamos, de oposição varia, podendo mudar em dias. Ou mesmo horas.  
 
A preço de hoje, e segundo os critérios mencionados acima e os analistas políticos de Parnamirim são onze as possíveis pré-candidaturas: Airene Paiva,  Iran Padilha, Pinto Júnior, Josiane Bezerra, Professora Nilda Cruz, Maurício Marques, Valmir Carvalho, Daniel Américo, Santana, Anna Nunes e Andréa Ramalho.
 
Destes, há casos como os que já estão em plena pré-campanha assumida, como Airene, Daniel e Andrea. Esta, esposa do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo, pode sequer ter condições jurídicas para disputar, já que foi primeira-dama natalense reeleita (no caso a candidatura dela configuraria uma segunda reeleição, segundo alguns juristas, o que é vetado).
 
Outros lançaram os nomes, mas agem de maneira mais contida, como Nilda.
 
Há que os foram lançados pelos partidos, como Josiane (pelo PT) e Santana (pelo PV).
 
Alguns têm os nomes lembrados, mas não assumem pré-candidaturas e insistem que o momento é de debater sobre Parnamirim, como o jornalista Pinto Júnior, a advogada Anna Nunes e o professor Iran Padilha.
 
Dizer que a oposição marchar desunida e em diversas candidaturas reelegerá Taveira com facilidade é chover no molhado. A questão para o mundo político é definir quais as candidaturas que detém verdadeiramente uma sustentação político-partidária e quais as que conseguirão aglutinar alianças e interesses.
 
Além de paralelamente debater Parnamirim, claro. A população só fala em política e na eleição, assim como os políticos. Mas, também quer debates, conversas e análises sobre a cidade, o que está sendo feito menos do que deveria.
 
Pode fazer diferença em 2020.