Presidente da ADURN fala sobre negociações com o Governo

01/06/2015


Foto: Tiago Rebolo
A meta da nova diretoria da ADURN-Sindicato (Associação dos Docentes da UFRN), que assumiu recentemente o posto, é romper com a prática do "sindicalismo burocrático e atrasado", promovendo uma modernização nas lutas da categoria. A declaração foi dada pelo novo presidente da entidade, Prof. Wellington Duarte, em entrevista ao programa Conexão Potiguar, da BAND Natal.
 
Segundo Wellington, essa postura pode ser percebida nas atuais conversações mantida entre o sindicato e o Governo. A categoria pede reajuste salarial para repor as perdas e ainda um plano de reestruturação de carreira. De acordo com o presidente da ADURN, no entanto, a greve não pode ser tratada como uma prerrogativa necessária. "Seremos propositivos. Vamos apresentar uma proposta e vamos aguardar uma resposta", afirma.
 
De acordo com o professor, caso a proposta seja reprovada, aí sim a categoria será convocada para deliberar sobre as negociações. Entretanto, qualquer sinalização de greve deve ponderar diversos aspectos importantes, como o impacto sobre a formação dos alunos. "Não podemos esquecer que são 45 mil estudantes", ponderou Wellington.
 
AJUSTE ECONÔMICO
O presidente da ADURN-Sindicato ainda falou a respeito do contingenciamento econômico promovido pelo Governo Federal. De acordo com ele, na verdade, a equipe econômica da gestão federal está realizando um "torniquete econômico", dado o tamanho do aperto e da dificuldade.