Clóvis Vale: “Queremos que os jovens se interessem mais pela política em Lajes”

03/09/2014


O presidente da Câmara dos Vereadores de Lajes, Clóvis Secundo Vale (PP), concedeu entrevista ao programa Conexão Potiguar. Na conversa com o jornalista José Pinto Júnior, o vereador falou a respeito da 20ª Expolajes, edição deste ano da tradicional exposição realizada no município. Além da festa, Clóvis destacou as ações da legislatura atual da Câmara. Confira a entrevista na íntegra:

Nos conte como estão os preparativos para a tradicional festa que acontece nos próximos dias em Lajes.
A Expolajes, que está na 20ª edição, vai acontecer neste final de semana, entre os dias 29 e 31. É uma festa muito difícil de ser feita. Até porque, para realizá-la, nós contamos com parcerias. E este ano o Governo do Estado vai participar. O Município, por meio da Prefeitura e da Câmara Municipal, está ajudando e sendo parceiro da ACOSC, que é a Associação dos Criadores de Ovinos e Caprinos daquela região (o Sertão Cabugi). Então, com muita luta, nós vamos realizar a festa porque ela é tradicional e nós temos, na região, uma criação de ovinos e caprinos de uma procedência genética muito boa.

Isso tem tudo a ver com a vegetação do lugar, não é?
Exatamente. Para sobreviver naquela região, a criação de caprinos é muito mais indicada, em virtude de o bovino, por exemplo, necessitar de uma massa alimentar muito maior. Eu sou criador e sei disso. Já tentei criar bovino e vi que realmente não dá certo porque eles precisam de uma estrutura muito maior. Crio desde 1980 e, graças a Deus, tem dado resultados.

Assim como a Festa do Boi, em Parnamirim, começou com a vacaria, a Festa de Lajes começou com a feira de bodes. Nos conte sobre a história do evento.
Hoje é uma festa que o Rio Grande do Norte todo fala. Em 1985, nós criamos uma associação de comerciantes e agricultores. Tendo isso em vista, nós criamos a Caprifeira, que era um evento de âmbito regional. Mobilizamos os municípios vizinhos tentando incentivar a criação. Depois de várias Caprifeiras, começamos a receber incentivos governamentais na questão da produção do leite. Isso mudou a nossa produção. Alguns criadores passaram a não ter somente animais para corte e ter também animais para leite. E essa tradição foi se estabelecendo, a ponto de fortalecer a região como um todo.

O beneficiamento do leite, a produção de queijos, já é uma realidade por lá?
Nós fornecíamos para a APASA, que é Associação dos Pequenos Agropecuaristas do Sertão de Angicos, um laticínio que existe naquela cidade que industrializa o leite. Uma parte da produção industrial voltava para a população por meio do Programa do Leite, por exemplo, quando o governo comprava. A outra porção ia para a produção de iogurtes, o leite in natura etc. Em suma, agregava valor ao produto.

Na sua gestão à frente da Câmara de Lajes, foi criado o Parlamento Jovem. Lá funciona?
Esse projeto foi criado no ano passado e nós vamos instalá-lo ainda neste segundo semestre. Já criamos a lei e estamos encaminhando para a Secretaria de Educação do Município para que seja feita a escolha dos “vereadores”. Estamos dando o maior apoio para que os jovens se interessem mais pela política e tomem conhecimento do que acontece na Câmara no dia-a-dia.

Há alguma previsão para a realização de concurso no município?
Sim. Estão sendo criados seis cargos a serem preenchidos com oito vagas. Atualmente não existe ninguém efetivo na Câmara; só cargos comissionados. Então, o projeto de lei já foi aprovado por todos os vereadores e nós vamos fazer o concurso. Estamos aguardando a firmação do contrato entre a Prefeitura e a  Comperve, para que a instituição possa elaborar o nosso concurso.

A Câmara de Lajes é filiada a Fecam. Quais são as vantagens?
Nós estamos organizando nossa lei orgânica através da Fecam (Federação das Câmaras Municipais). Outro ponto é a reformulação do regimento interno, por exemplo, que foi feito em 1997. A Fecam está nos auxiliando por meio da assessoria jurídica. Além disso, estamos oferecendo cursos de eletricista predial, tendo em vista a preocupação em gerar emprego e renda. Neste curso, estamos com 73 alunos, o que é muito bom.

Fonte: Potiguar Notícias