Wober Júnior.: "Políticos terão grande responsabilidade na eleição"

23/08/2014

Por: Pinto Junior

Ex-deputado estadual e líder estadual do Partido Progressista Socialista fala sobre campanha eleitotal, pleito e política potiguar e nacional.

Qual o projeto principal do PPS neste ano de 2014?
O projeto principal é fortalecer o partido, mas dentro de uma lógica que permita o partido contribuir para a recuperação do Rio Grande do Norte, não pode ser uma coisa meramente partidária ou ideológica, tem que ser uma ação coletiva dos homens e das mulheres do Rio Grande do Norte interessados em resgatar o nosso Estado. Dentro desse contexto existe a nossa proposta de juntar os partidos políticos, pessoas, personalidades e instituições que queiram realmente colocar um rumo certo no nosso Estado, que está vivendo um momento de caos e desagregação administrativa.

Em qual palanque o PPS estará nas eleições 2014?
Nacionalmente, estaremos no palanque de Eduardo Campos, que para o partido representa uma nova forma de fazer política e rompe com a dicotomia entre PT e PSDB. No Rio Grande do Norte, iremos nos unir com as pessoas que estejam dispostas a renovar o Estado, a se abrir para uma nova lógica de administração e de poder.

O PPS disputará algum mandato federal?
Em 2014 nossa prioridade será fazer um deputado estadual.  Temos vários nomes que se dispõe, como por exemplo, Geraldo Ferreria, presidente do sindicato dos médicos, o Eduardo Machado, que é o secretário de esportes do município de Natal, entre outros.

Quais as características ideais para o futuro governador do Rio Grande do Norte?
Os políticos e partidos do Rio Grande do Norte terão que ter uma responsabilidade muito grande nessas eleições. Nós já pagamos duas contas muito caras, a de Micarla de Sousa em Natal, e a de Rosalba Ciarlini no Estado. Temos que eleger uma pessoa experiente, que tenha capacidade de articulação nacional e internacional, de agregar pessoas e valores e que mude a agenda do nosso Estado, apostando no comércio exterior e nos arranjos regionais. Precisamos de um governador vocacionado para o presente e o futuro, que coloque o Rio Grande do Norte no caminho do desenvolvimento.

Fonte: Revista Conexão Potiguar