Reciclagem Consciencial

29/04/2014

Por: Alexandre Castello Branco.

A preocupação com a preservação da natureza aumenta, a cada dia, em todo o mundo. Com esse propósito, justo e necessário, muitas instituições foram e continuam sendo criadas com o objetivo de colaborar com idéias, soluções e a conscientização das pessoas para a melhoria das condições e manutenção da vida neste planeta.


A reciclagem tornou-se uma das prioridades dos movimentos ligados à defesa da ecologia. Quando ouvimos falar em reciclar, logo associamos à transformação ou reaproveitamento, em outros produtos, dos resíduos gerados pelas indústrias, no seu processo de fabricação, e do nosso lixo caseiro produzido a cada dia, tais como: embalagens plásticas, vidros, papéis, garrafas pet, latas de alumínio e sobras que resultam da preparação dos alimentos.


A Conscienciologia, através das suas idéias divulgadas, hoje, pelas várias instituições conscienciocêntricas, estuda a consciência (indivíduo, ego, ser, princípio inteligente) numa perspectiva que extrapola a dimensão material, considerando o somatório das suas experiências através das várias vidas em condições diversificadas, propõe a reciclagem consciencial, ou seja, a reciclagem do próprio indivíduo. Esse processo de reciclagem íntima repercute de forma mais efetiva nas mudanças externas e, consequentemente, na atuação das pessoas em busca das alternativas para a melhoria das condições de vida no planeta.


As auto-reciclagens são factíveis de serem promovidas e vivenciadas pelos interessados em reperspectivar ou redirecionar a sua existência. De repercussões amplas, profundas e de caráter mais duradouro, à medida que elas se processam no íntimo da consciência, as mudanças se incorporam ao ego e serão vivenciadas nos períodos entre vidas e nas próximas existências na dimensão física.
Fundamentada no movimento pessoal de desconstrução de antigos pensamentos e de posturas, as reciclagens conscienciais permitem a elaboração de uma nova forma de pensar, mais apropriada a nossa condição de consciência, com suas múltiplas existências, atuando em várias dimensões. Possibilita a atualização da nossa auto-imagem e favorece a implementação das transformações desejadas.


As reciclagens conscienciais têm na sua dinâmica a mudança dos pensamentos, sentimentos, energia, ou, mais apropriadamente, dos pensenes, neologismo da Conscienciologia que exprime a indissociabilidade dos pensamentos, sentimentos e energia. Como são inseparáveis, os resultados repercutem em bloco na nossa forma de pensar, sentir e agir.


A organização dos nossos pensenes tem início com o desafio de voltarmos à atenção para nós mesmos e, com autocrítica máxima, porém, sem perfeccionismo, identificarmos, dentre os nossos valores, aqueles que devem ser reavaliados ou até mesmo descartados por serem repetições daquilo que fizemos no passado, ao longo das nossas várias vidas, mas, hoje, acrescentam pouco às nossas experiências. Esses valores ainda calcados no egocentrismo e na falta de priorizações da auto e hetero assistência são imaturidades que embotam as nossas percepções e dificultam a nossa ação para conseguirmos um melhor desempenho quanto as nossas conquistas evolutivas. São as “tralhas” dispensáveis da personalidade que ainda insistimos em carregar.

A autopesquisa, método utilizado pela Conscienciologia para identificação do que realmente somos, possibilita o levantamento não só dos nossos valores, mas, também, dos nossos vários traços. Aqueles que temos um maior domínio, que estão mais desenvolvidos e qualificados, ou seja, os nossos traços força ou trafores, e os que dificultam a vivência mais produtiva das nossas ações que são os nossos imaturos, traços fracos ou trafares.

Independente de raça, cultura, nacionalidade, condição social, formação acadêmica ou nível evolutivo, todos temos traços a serem trabalhados. As reciclagens conscienciais efetivam-se na vida de uma pessoa, à medida que, fazendo uso dos seus trafores, ela começa a investir na superação dos seus trafares. Esse movimento de auto-superação, impulsionado pela vontade, é crescente. Quando superamos um trafar, nos tornamos aptos para descortinar outro aspecto da nossa manifestação que antes não conseguíamos perceber. A cada desafio vencido, novos se apresentam, criando um círculo virtuoso de identificação e superação de autodesafios.

A técnica avançada da reciclagem consciencial, aqui proposta, pode ser experimentada por todo indivíduo motivado em se tornar uma pessoa mais madura e, consequentemente, interessada em dinamizar a sua evolução.

 

Próximo evento da INTERCAMPI: Palestra gratuita sobre o tema “Autoconhecimento e Evolução Pessoal”, a ser ministrada pela professora Cláudia Suassuna, dia 24 de abril de 2014, das 20h às 22h, na sede da INTERCAMPI, Av. Antônio Basílio, 3006 – Edifício Lagoa Center, sala 901 Lagoa Nova – Natal - RN.

Informações: Fones: 84.3211-3126/8726-2987 intercampi@intercampi.org; www.intercampi.org

 

 

Fonte: INTERCAMPI