CBTU se reúne com secretarias do município de Natal

10/07/2013

Por: Raphael Albuquerque

Devido a aproximação da data de entrega dos Veículos Leves Sobre Trilhos em Natal, a CBTU vem se reunindo com órgãos ligados a mobilidade da RMN, para que a modernização do transporte de passageiros sobre trilhos possa ser discutida democraticamente e implementada com a maior eficácia possível.

 Desta vez, a Equipe Técnica da CBTU se reuniu, nesta segunda, 08, com representantes das secretarias municipais de Natal para discutir o andamento do Projeto VLT que a CBTU vai apresentar nos próximos dias á população. A Secretária Elequicina Maria dos Santos e seu adjunto, Clodoaldo Trindade, responderam pela Secretaria de Mobilidade Urbana - SEMOB. A Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico - SETURDE, foi representada por Marcelo Faria e a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo - SEMURB, pela arquiteta Marie Floresie.

 Na ocasião, a coordenadora do Projeto, Dulce Albuquerque apresentou a proposta da CBTU aos gestores e técnicos municipais, demonstrado ainda as intenções da Companhia no processo de modernização do sistema férreo da cidade, apresentado as ações a serem executadas pela Superintendência de Trens Urbanos, em conjunto com os órgãos parceiros, a fim de que se obtenha êxito no projeto que traz parte da solução para a mobilidade da RMN.  

 O superintendente da CBTU, o engenheiro João Maria Cavalcanti, ponderou que a reunião com as demais secretarias tem um elevado grau de importância, pois dará mais celeridade ao processo, permitindo que as decisões sejam tomadas em conjunto. “Os resultados que estão sendo gerados superam as nossas expectativas. Iniciamos o diálogo com a SEMOB, mas a temática é tão relevante, que neste encontro, tivemos a presença da SEMURB e SETURDE. Esperamos que mais órgãos se juntem a CBTU nessa discussão importante para a população”, afirmou.

 Ao final da reunião, a Secretária Elequicina Santos propôs um trecho a ser atendido pelo VLT, que foi consenso entre todos. Entretanto, outras alternativas  poderão ser estudadas no futuro para evitar qualquer tipo de indenização de imóveis que venham atrasar a implantação da ampliação do Sistema.

Fonte: Assessoria