Liliana Borges

16/04/2022

 

AROUCA, Mosteiro a Assembleia…

 

Continuando minha viagem pelas terras de Arouca em companhia de amigos portugueses…
 
Relembrando que a localidade está situada a cerca de 60 km da Cidade do Porto e faz parte de sua Área Metropolitana no Distrito de Aveiro na Região Norte de Portugal. O concelho é subdividido em 16 freguesias com população de 21.154 habitantes (2021), como também, o Município foi classificado como Geoparque Mundial da UNESCO em 2009, um complexo que compreende 328 Km² com história desde 500 milhões de anos atrás a suntuosa Ponte 516, uma arte da engenharia na atualidade.
 
Entre mais alguns lugares que tive oportunidade de conhecer foi o Mosteiro de Santa Maria de Arouca e o Museu de Arte Sacra. O Mosteiro foi fundado no século X e no decorrer de sua existência foram realizadas várias obras até o século XVIII ser alterado completamente na forma que presenciamos hoje, composto por uma bela Igreja construída entre 1704 a 1730. Classificado como Monumento Nacional desde 1910. 
 
No princípio era para homens e mulheres, no século XII passou a ser um convento feminino da Ordem de São Bento. O Rei D. Sancho I doou o convento à sua filha Dona Malfada e com sua orientação em 1226 passou à regra de Cister que é uma Ordem religiosa católica monástica beneditina reformadas, a qual seus membros eram conhecidos como monges brancos, pois usavam hábito nesta cor. 
 
 O monarca anteriormente havia realizado um contrato de casamento entre Mafalda e Henrique de Castela em 1215, porém ele faleceu muito jovem e o matrimônio não foi consumado, ela retornou a Portugal e mesmo assim ficou com título de rainha, morreu em 1256, sepultada em Arouca e mais tarde beatificada em 1792 que se tornou conhecida como “Rainha Santa Mafalda”.
 
Na altura das guerras liberais no século XIX o mosteiro foi extinto e seus bens foram transferidos à Fazenda Pública, porém permitindo continuar residência das freiras até a morte da última em 1886. O precioso espólio artístico foi preservado e exposto no Museu de Arte Sacra instalado no local.
 
Cabe ressaltar que o mosteiro passou a integrar o programa “Revive”, no qual o Estado Português permite a abertura de patrimônios históricos a investimentos privados estimulando o desenvolvimento na área do turismo e afins. Em 2019 foi assinado o contrato de concessão com grupo MS Hotels & Resolts por 50 anos, no qual em uma de suas alas está sendo construído uma unidade hoteleira, provavelmente na categoria de 4 estrelas, como também, um restaurante. O funcionamento de suas atividades está previsto para o verão de 2023.
 
Para finalizar a excursão fomos almoçar no domingo na “Assembleia - Wine Bar & Restaurant”, um dos renomados na culinária regional com sabores magníficos, situado na Travessa da Ribeira, nº 5 aproximadamente a 200 metros do Mosteiro de Arouca. 
 
Iniciamos com as apetitosas entradas como pães, azeitonas, queijos e presuntos, depois saboreamos a tradicional Posta Arouquense, “Postinha de Vitela com Arroz de Fumeiro e Batatas Fritas”, além de um suculento “Cabrito Assado”, acompanhados de bons vinhos da Região do Douro e por fim, como sobremesa o “Super Passadiços – Mix de Minas Crocantes e Passadiços”, variedades de pequenas poções de delícias doces regionais.
 
Conhecer Arouca é uma verdadeira viagem ao passado mais remoto, tão longe como a origem da vida na Terra percebida nas pedras de ardósias na região através dos “Trilobites” ou apenas algumas centenas de anos atrás com a emoção da história a cada época, chegando até o presente pincelado com o espetáculo de novas obras de engenharia, apreciando a suntuosa natureza ao seu redor em harmonia com a ciência, arte e cultura, além de tudo isso, recheada com suas iguarias gastronômicas. 
 
É simplesmente fabuloso…
 
Confira o vídeo sobre a matéria no meu canal no YouTube: LILIANA BORGES EM PORTUGAL 
 
https://youtu.be/13XGt82cIvw