Wellington Duarte

06/11/2021
 
 
Não esqueceremos!
 
 
Bolsonaro não se cansa de ser ridículo. Suas gafes, diárias, só não são engraçadas porque, por trás dela tem todo uma intenção ruim, pejorativa, negativa, preconceituosa. Suas gafes são a expressão do que ele é. O que sempre foi. Bolsonaro é um monstrengo desengonçado e estúpido, que não tem a mínima vontade de ser civilizado. Sua vida política foi tracejada pelo desejo para saudar a morte e fez, sempre, questão de demonstrar seu bestialismo.
 
Todos que financiaram a ascensão desta criatura sombria, sabiam do seu passado. Não sejamos inocentes a ponto de imaginar que os empresários (de todos os tipos) que carrearam dinheiro para as mãos dos grupos que montaram o esquema de Fake News, não sabiam que este elemento era contra a democracia, carregava uma carga preconceituosa gigantesca, é um sujeito cuja paranoia anticomunista é perigosa, pois explicita a eliminação física dos comunistas.
 
E todos viram como essa plateia sombria recebeu com entusiasmo a vitória do fascista com muitos, inclusive, embarcando na mesma insanidade do eleito e basta ver o comportamento de um sujeito desqualificado que muitos o alcunham como “o véio da Havan”, para entendermos o papel desse empresariado no nosso mergulho na barbárie.
Se queremos ultrapassar esse período nefasto na nossa história, temos que identificar os elementos que contribuíram para que o fascismo chegasse ao poder Executivo, não por vingança, mas para que a sociedade saiba exatamente que agentes sociais foram responsáveis, indiretamente, pela mortandade que estamos ainda vivendo e pela caótica situação econômica e social.
 
O empresariado que abraçou o bolsonarismo fascista deve sim ser ressaltado pois o poder financeiro foi utilizado diretamente para transformar o Mandrião num presidente da república e que resultou na transformação do Executivo num “puxadinho” da sua família, algo vergonhoso até para os capitalistas (sic) que defendiam a “neutralidade” e a “pouca interferência” do Estado na sociedade, ou seja, uma hipocrisia desavergonhada.
 
Acredito que nos próximos meses veremos o presidente produzir grosserias e mentiras de toda ordem, agora com o bolso recheado com os prováveis R$ 92 bilhões do calote dado pela “PEC dos precatórios” e, podem acreditar, uma parcela do empresariado ainda estará alinhado ao caos, muito em função dos favores que estão sendo dados em várias esferas ou simplesmente pelo fato de que essas pessoas desqualificadas tem simplesmente ódio da democracia, pois na anarquia bolsonarista  só há espaço para a falcatrua e a pilantragem, explícita ou não.
 
Quando este presidente sair de cena devemos escrever a história desse período e tratar de mostrar o quanto a luta de classes pode deformar uma sociedade, possibilitando que o anacronismo e a barbárie se tornassem presentes no nosso dia a dia.