Evandro Borges

30/07/2021
 
Ceará Mirim chega aos 163 anos de emancipação política
 
 
O Município de Ceará Mirim foi instalado no dia 30 de julho de 1858 com a transferência de Extremoz, estando situado na Região Metropolitana de Natal e ainda no polo da Costa Branca, com uma população estimada pelo IBGE para o ano de 2020 de 73.886 habitantes com uma área territorial de 740 km². E a Câmara Municipal foi instalada na Vila de Ceará Mirim em, 14 de outubro de 1858. 
 
A sede Municipal de Ceará Mirim dista de Natal, a capital do Estado 28 km através da BR - 406, de Touros 63.8  km pela RN - 064, de João Câmara  47,7 Km pela BR – 406 e de São Gonçalo do Amarante 21 km pela BR – 406, banhada pelos Rios Ceará Mirim, Maxaranguape, Doce, Delfino, Dos Índios, Guajirú, Do Mudo, Macaio, Maturá de Cima, Raposo, Riachão, São Pedro, Coratá, Capela e Da Goiabeira.
 
O principal Rio é o Ceará Mirim que nasce entre os Municípios de Lajes e Angicos percorrendo os Municípios de Pedra Preta, Jardim de Angicos, João Câmara, Poço Branco local que é repressado pela Barragem Engenheiro José Batista do Rego Pereira, continuando por Taipú, chegando a Ceará Mirim até desembocar na comunidade de Barra do Rio no Município de Extremoz e desaguar no Oceano Atlântico.
 
O Município de Ceará Mirim conta com a maior população rural do Estado, com oitenta e uma comunidades rurais incluindo os assentamentos de reforma agrária, com uma excelente produção da agricultura familiar destacando entre outros a produção de: feijão verde, mandioca, macaxeira, milho, frutas e verduras frescas, com um sindicato dos agricultores e agricultoras familiares bem articulado, sendo as maiores comunidades rurais, Maçaranduba, Gravatá, Primeira Lagoa, Ponta do Mato, Capela, Lagoa Grande e a comunidade quilombola de Coqueiros.
 
O litoral praiano se estende por 11,72 km, formado pelas belas praias de denominadas de: Muriú a mais festejada por veranistas e turistas, local de boa pescaria, inclusive da lagosta e conta com parrachos distando aproximadamente de 3 km da praia, Porto Mirim e Jacumã com águas calmas e atraem turistas o ano inteiro com ótimos restaurantes. Nas praias de Muriú e Jacumã está estabelecida a Colônia de Pescadores Z -14, contando com um bom número de associados.
 
Os prédios históricos são verdadeiros monumentos, destacando a sede da Prefeitura Municipal denominado de Palácio Antunes, o Mercado Público Central datado de 1881 com uma beleza arquitetônica sem igual e bem conservada, contando com iguarias da gastronomia regional, sempre com muitas pessoas em transito, principalmente no sábado dia da feira livre, que inicia nas primeiras horas do dia atraindo a população do Município e adjacências. 
 
A igreja Matriz dedicada a Padroeira Nossa Senhora da Conceição uma das maiores do Estado, descortina a majestosa Praça do Barão de Ceará Mirim, sua pedra fundamental foi chantada em 1858 e concluída a obra em 1900. Ao lado esquerdo o Colégio Santa Águida da congregação das Freiras Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho, formam um largo deslumbrante.
 
O centro está estabelecido um bom comércio com lojas de envergadura nacional, com excelentes supermercados, padarias, óticas, perfumarias, vestuário, mobiliário, eletrônicos, variedades, lanchonetes, restaurantes, pousadas, agências bancárias, lotérica, e serviços médicos, odontológicos, laboratoriais, advocacia, contabilidade, com uma excelente mobilidade, principalmente na Avenida Gal. João Varela asfaltada e na sua maior extensão de mão dupla que corta a cidade.
 
A administração pública está entregue a Júlio César e Marcílio Dantas, Prefeito e Vice-Prefeito respectivamente, eleitos em conjunto em 2020, trabalhando de forma harmoniosa, com muita austeridade para controle das finanças públicas, mantendo o equilíbrio das receitas e despesas, pagando dentro do mês os servidores públicos organizados de forma estatutária e com previdência própria.
 
A municipalidade de Ceará Mirim mantem as Escolas Públicas Municipais, Unidades Básicas de Saúde, Hospital Público Municipal Dr. Percílio Alves de Oliveira com gestão financeira compartilhada com o Estado do Rio Grande do Norte. Executando as políticas públicas da assistência social de modo descentralizado dentro dos critérios da universalidade de direitos, mediante o cadastro único e dos postulados da LOAS.
 
Administração pública dentro de um esforço aos desafios da pandemia, mesmo assim, têm edificado obras, desde calçamento, urbanizando ruas importantes, como também, as obras consideradas de identidade, como chantar o monumento de Nossa Senhora da Conceição na Praça do Barão de Ceará Mirim, o portal da cidade e toda a restruturação do serviço de abastecimento d’água em curso através da autarquia municipal o SAAE e ampliação para muitas comunidades rurais.
 
O Município de Ceará Mirim com longa história reporta o período da colônia quando se explorou o Pau Brasil do bioma da Mata Atlântica, constando na pesquisa acurada de Luís da Câmara Cascudo na sua obra denominada Nomes da Terra, editada pelo Sebo Vermelho a origem da nomenclatura de Ceará Mirim, devendo o nome ao Rio Ceará Mirim, terras de vales para boa agricultura,  de verdes canaviais e coqueirais, como expressa o seu Hino.
 
A nomenclatura dada assim descreve Câmara Cascudo: “Em 5 de setembro de 1675, André Mateus e Jorge Franca eram nomeados capitães dos distritos de SYARÁ DE BAIXO e SYARÁ DE CIMA, divisões administrativas. Em 1810, data-924, havia o Sítio CEARÁ, pertencente a José Ferreira da Silva, e em 1816, data – 946, o Ceará de Baixo, de d. Joaquina Pereira de Gusmão. A explicação clássica do CEARÁ-MIRIM ter essa designação pela existência de CEARÁ-GRANDE, não me parece documentada. A necessidade foi local, na divisão do próprio vale das demais terras. Antes do CEARÁ GRANDE já havia o CEARÁ-MIRIM”.
 
Ainda se pode aludir no livro de Marcus César Cavalcanti de Morais com o título de “Terras Potiguares” publicados pela editora Foco, em relação às praias, apenas com um deslize para a praia de Grançandú que está situada no Município de Extremoz, todavia com relação as praias, ensejando destacar o seguinte: “As praias representam a grande força turística do município. A praia de Muriú, além de sua beleza natural, tem forte componente histórico já que foi o local onde desembarcaram tanto franceses como portugueses, no histórico Porto de Muriú. Com seus belos coqueirais, suas baixas dunas, Muriú também é um dos principais locais de pesca da lagosta, e ainda oferece boas condições para a prática de pesca submarina. Já a Praia de Jacumã, que fascina os veranista com mar tranquilo e muitos coqueirais, oferece ótimas condições para a pesca. É em Jacumã, quando por ocasião do refluxo  da maré, os peixes encalham nos rochedos, facilitando a pescaria de anzol. O visitante conta ainda com as praias de Porto Mirim e Grançadu; Lagoa de Jacumã; Dunas; e Parrachos de Muriú”.