Ananda Carvalho

09/04/2020
 
Efeito Protagonista
 
É curioso pensar em como nós tendemos a torcer para o(s) protagonista(s) de um filmes e séries, que muitas vezes fazem coisas que na vida real julgaríamos e condenaríamos sem pensar duas vezes. Mas se o ladrão do filme for legal, a gente quer que ele escape, se o casal for fofo tudo bem eles terem traído alguém.
 
Como em “Titanic”, um dos romances mais marcantes dos últimos tempos foi efeito de um belo chifre, mas como o noivo da Rose com certeza não é flor que se cheire e o casal é fofo nós deixamos passar.
 
Mas nem sempre o “rival” do protagonista precisa ser um personagem mal caráter, mas nos é tão mostrado o casal principal como perfeito que a gente quer que eles fiquem juntos custe o que custar como em “O melhor amigo da noiva”, “De repente 30”, “Imagine eu e você”, entre outros;
 
Filmes de assaltos elaborados poderiam liderar essa lista como em “As loucuras de Dick e Jane”, “Onze homens e um segredo”, “Louca por amor, viciadas em dinheiro”, entre muitos outros são filmes que mesmo sem você querer torcer, você torce pra pessoa roubar tudo que ela quiser, geralmente por pena dos personagens ou só por simplesmente simpatizar com eles, como na série “La casa de papel”, ou em “Velozes e Furiosos” fazendo vocês desacreditar da polícia de diversos países desde 2001.
 
Filmes de vingança nem se fala, mesmo que o protagonista tenha um bom motivo pra chacina, sempre é um pouco mais do que o necessário, mas fazer o que, a gente só torce, para ele sair ileso de tudo aquilo e pronto, como em “Kill Bill”, “John Wick”, “Fúria”, entre tantos.