Evandro Borges

04/01/2020
 
Campestre: Uma mudança com austeridade
 
 
Em São José do Campestre situado entre o Agreste e o Traíri, distante de Natal a oitenta quilômetros, com acesso pela RN 269, está com uma população conforme dados do IBGE de 12.355 habitantes, tem como Municípios vizinhos, Passa Fica, Tangará, Japi, Monte das Gameleiras, Serra de São Bento e Lagoa D’antas. É sede da Comarca e o gentílico denomina-se Campestrense.
 
Há uma vida social e cultural intensa celebra as festas de Reis, 5 e 6 de janeiro, 19 de maio a Padroeira, cavalgada no dia 02 de maio e emancipação do Município em relação a Nova Cruz no dia 23 de dezembro. O Sindicato dos Trabalhadores Rurais no dia primeiro de maio realiza um tradicional dia do Trabalhador. A feira livre uma das maiores da região acontece nas sextas-feiras. 
 
A principal atividade econômica é agricultura familiar, está inserido no semiárido, no bioma da caatinga, com um inverno de poucas chuvas, conta com comércio e serviços, atividades bancárias, as ruas centrais são largas e projetadas, possuindo o maior bairro popular denominado de Paraíba, a sede municipal é servida com água de boa qualidade pela Adutora Monsenhor Expedito.
 
O prefeito eleito em eleições suplementares é Joseilson Borges da Costa, de origem popular, natural da comunidade do Zamba, zona rural, era Presidente do Sindicato dos Trabalhadores(as) Rurais,  foi vereador da Municipalidade, técnico agropecuário formado pela Escola Agrícola de Jundiaí da UFRN em um convênio com a FETARN, comprometido com a agricultura familiar e com o desenvolvimento econômico com justiça social.
Está no poder político como Prefeito Municipal há dezessete meses, e está conseguindo equilibrar as contas públicas, vem pagando os servidores públicos municipais dentro do mês e o 13º salário, obviamente, com repercussão no comércio e serviços na localidade, fato que não acontecia há bastante tempo, e efetuando um trabalho na assistência social e na saúde garantindo a universalidade do serviço.
 
Na esfera administrativa, instalou o protocolo geral, conseguiu reestruturar a Lei de Organização administrativa, quando o Tribunal de Justiça do Estado julgou a anterior como inconstitucional, aprovou e já em vigência o novo Código Tributário Municipal, a  Lei de parcelamento e uso do solo, a fim de garantir novos loteamentos e moradias com uma estrutura satisfatória e com dignidade.
 
 Aprovou uma nova lei de Proteção e Defesa Civil, incluiu uma comissão de convivência com o semiárido, está mudando a face de Campestre, vem conseguindo o repasse de Emendas parlamentares, uma vez que conseguiu adimplir o Município, com a prática de muita austeridade, fundando a dívida e efetuando os pagamentos devidos com muita probidade.
 
A transformação operada consistindo em mudança de atitude, de moralidade, de ética, vai proporcionar em breve um cenário que poderá possibilitar um desenvolvimento com justiça social mais arrojado para mudar a qualidade de vida da sua população com cidadania e inclusão social, um dos exemplos que a sociedade civil deve acompanhar de perto.