Conselheiro da Anoreg/RN: "O Poliamor pode e deve ser registrado em cartório"

22/10/2019

Por: Redação do PN
Foto: PNTV
 
 O conselheiro da Associação dos Notários e Registradores do RN - ANOREG/RN, Filipe Gustavo, titular do Ofício Único de Baia Formosa, foi entrevistado pelo jornalista José Pinto Júnior no programa Jornal Potiguar Notícias - Segunda Edição, pela PNTV e 91,9 FM Natal, onde falou de assuntos jurídicos e cartoriais envolvendo a dinâmica das relações amorosas e humanas. 
 
Filipe falou sobre o tema do Poliamor, que segundo ele "é um tema instigante, até divertidíssimo, que na prática é uma união estável entre três pessoas, todos de acordo entre si sobre a relação, não há enganação, os três sabem de tudo", explicou e que pode ser registrada em cartório.
 
"O que recomendamos é as pessoas que vivem um Poliamor regularizarem esta união em cartório. Não há burocracia, basta declararem na frente do tabelião que elas vivem uma relação a três, gerando um documento público que vivem maritalmente, o que dará segurança juridica e previdenciária. Todos tem que estar de acordo, para ser concretizado", explica.
 
"Há alguns anos o programa Fantástico fez reportagem em Caraúbas, aqui no Estado, com um senhor que vivia e tinha filhos com a esposa, a cunhada e depois teve um filho com a sogra. Juridicamente os filhos são protegidos, tutelados, têm todos os direitos. O que poderia ser questionado é se passaria a gerar direitos sucessórios previdenciários. Todas teriam direito á pensão? Julgador se depara com casos assim. Se for registrado Poliamor, a previdência protege", explica.
 
Assista a entrevista na íntegra, abaixo: