Bombeiros controlam incêndio na Serra do Lima

19/09/2019

Por: Redação PN
Foto: Divulgação

O Corpo de Bombeiros Militar e a da Defesa Civil Estadual, conseguiu controlar parcialmente o incêndio florestal que atinge uma área de densa vegetação na Serra do Lima, no município de Patu, Oeste potiguar. Já são mais de 60 horas de combate ao fogo que teve início na última segunda-feira (16).

Durante toda noite e madrugada os militares e voluntários subiram a Serra em equipes de combate e conseguiram debelar vários focos do fogo.

Na manhã desta quinta-feira (19), os bombeiros estão realizando o monitoramento da área e aguardam drones e outros equipamentos da Secretaria de Segurança e da Defesa Social (SESED), que irão auxiliar no fornecimento de dados das áreas atingidas. Não há vítimas e nem danos em edificações.

A governadora Fátima Bezerra, na última terça-feira (17), reuniu todas as forças de Segurança Pública e o prefeito da cidade, Rivelino Câmara, para apoiar o município e montar uma força-tarefa. Um posto de comando foi instalado na cidade para acompanhar de perto e definir as melhores estratégias da operação. Também foi enviado um reforço de 30 bombeiros militares de Natal para ajudar na força-tarefa.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), coronel Monteiro Júnior, disse que as equipes trabalham incansavelmente 24h por dia. E mesmo já tendo cessado todos os focos de incêndio, há necessidade de permanência no local para monitorar a possível volta do fogo. “Visualmente, o incêndio está controlado desde ontem à noite. Porém, o incêndio florestal é o pior tipo de incêndio a se combater. Ele acontece em três formas: o de copa, que se dá em cima das árvores, o de superfície e o subterrâneo, que acontece sob a terra, a partir do material orgânico que recebeu muita temperatura e fica queimando embaixo. Então, podemos resolver todos os sinais de fumaça e o incêndio brotar em outro local, o que o torna mais difícil de combater. Então, mesmo cessados os focos do incêndio, ficaremos no local por alguns dias para acompanhar e monitorar, assim evitaremos que caso o fogo volte, poderemos combate-lo e evitar que ele se alastre rápido e fique da forma que estava”, explicou. Ainda de acordo com o comandante, após o fim da operação, é que terá início o trabalho da perícia para tentar identificar a causa do incêndio.

A operação conta ainda com o auxílio de outros órgãos públicos de segurança estadual e municipal, como Defesa Civil e da Polícia Militar. Mais de 100 pessoas, entre voluntários e militares, atuam no combate às chamas. Desse total, cerca de 50 são militares dos quartéis de Pau dos Ferros, Caicó, Mossoró e Natal que estão no local. Os voluntários são orientados e instruídos pelos militares. “Muitos voluntários, cidadãos estão muitos preocupados com a situação de ver o seu patrimônio ambiental sendo destruído pelas chamas”, frisou coronel Monteiro ao destacar a importância dos voluntários para o controle do incêndio.

BOATOS

Desde a última segunda-feira (16), quando o fogo começou na Serra do Lima, em Patu, áudios, fotos e vídeos de ocorrências em outras cidades e em dias diferentes estão sendo compartilhados em redes sociais alarmando e amedrontando a população. Até a manhã desta quinta-feira (19), o Governo reitera que não houve registros de nenhuma vítima e animal silvestre morto na área. Também não houve nenhuma edificação atingida.

Todas as informações estão sendo apuradas, acompanhadas e checadas pelo posto de comando montado no Santuário do Lima pelo Corpo de Bombeiros Militar. O Governo do Estado pede para que a população potiguar evite compartilhar informações não oficiais e sem checagem dos fatos.