Júri de advogado acusado de mandar matar F. Gomes é adiado

21/08/2019

Por: Redação PN
Foto: Reprodução / internet
O júri popular do advogado Rivaldo Dantas de Farias, acusado de mandar matar o radialista caicoense Francisco Gomes, conhecido como F. Gomes, em 2010 foi adiado. O julgamento que estava marcado para esta quarta-feira (21), quase nove anos após o crime, ganhou novo prazo após polêmica no Fórum Miguel Seabra Fagundes em Natal.
 
O advogado alegou cerceamento de defesa já que ele solicitou nesta quarta-feira uma nova testemunha que mora em Caicó. A juíza concedeu o direito ao réu que permanece preso. A nova data será no dia 29 de agosto, quinta-feira da semana que vem. Outra questão polêmica é que como advogado, o réu vai fazer a própria defesa no júri. No entanto, duas testemunhas de acusação alegaram que não falariam na presença do acusado.
 
O promotor criminal Augusto Flávio Azevedo confirmou que é um direito do réu a solicitação da testemunha, mas que tentou remarcar a data do júri para esta quinta-feira (22). O prazo curto não foi possível porque a Justiça ainda vai localizar o endereço dessa nova testemunha.
 
 
Rivaldo Dantas é acusado de ter encomendado a morte de F. Gomes em outubro de 2010 em Caicó, a 282 quilômetros de Natal. O julgamento acontece no Fórum Miguel Seabra Fagundes, na capital.
 
A prisão preventiva do advogado foi decretada no dia 5 de julho deste ano pelo Juízo da 1ª Vara da comarca de Natal, atendendo ao pedido da 15ª Promotoria de Justiça. O réu foi denunciado pelo Ministério Público do RN à Justiça pelo crime de homicídio com três qualificadoras: motivo fútil, emboscada e morte mediante promessa de recompensa.
 
F. Gomes tinha 46 anos e trabalhava na Rádio Caicó AM. Ele foi assassinado na noite de 18 de outubro de 2010, deixando mulher e três filhos. O radialista foi atingido por três tiros de revólver na calçada de casa. Vizinhos ainda o socorreram ao Hospital Regional de Caicó, mas ele não resistiu aos ferimentos.

Fonte: OP9