Minifábrica de confecções transforma vidas na zona rural de Goianinha

06/08/2019


Foto: João Vital
 
Um sonho que iniciou nas conversas à sombra das árvores, no local que hoje abriga a sede da Associação de Moradores da Pitombeira (Acop), em Goianinha, agora possibilita uma nova realidade às várias famílias beneficiadas com a recém finalizada minifábrica de confecções.
 
“Eu nasci e cresci fazendo artesanato com meus avós, nas calçadas aqui da vizinhança. Não tínhamos nem onde produzir. Foi com muito esforço, passando muita dificuldade que, a partir do trabalho com as costuras e com a fibra da carnaúba, sobrevivemos e até paguei os estudos de meus filhos, hoje formados. Olhar para trás, ver tudo o que caminhamos e o que alcançamos, ver nossa sede levantada, toda equipada e estruturada é de uma alegria sem tamanho. Isso nos dá a certeza de que as gerações futuras da associação terão de onde tirar o sustento, porque aqui tem um empreendimento de verdade, o nosso próprio negócio”, disse a presidente da Acop, Maria Dulce da Silva, de 73 anos, quando perguntada sobre ter sido beneficiada com a reforma e adequação do prédio para a fábrica de confecção, bem como a aquisição dos maquinários e insumos, pelo Governo do RN, com investimento de mais de R$ 225 mil.
 
A Acop conta com 20 associados diretos, sendo 19 mulheres, e é uma das 12 associações que foram beneficiadas com minifábricas de confecções por meio do Projeto Governo Cidadão e Banco Mundial, com foco no desenvolvimento regional, promovendo o fortalecimento da Economia Solidária. Agora, os associados planejam confeccionar – além das camisetas básicas, que já entregam às estamparias da região, e dos arremates nas peças de artesanatos – fardamentos, peças íntimas e bonés.
 
O articulador territorial do Agreste Litoral Sul, Dayro Rios, destaca que, passada a entrega do empreendimento, a preocupação passou a ser com a sua sustentabilidade. “Para que a fábrica se mantenha aberta, fazendo o que se propõe, que é reunir iniciativas que gerem emprego e renda à comunidade, é preciso que seus membros tenham noção de gestão e qualificação para desenvolver o trabalho. Por isso, o secretário de Gestão de Projetos e Metas, Fernando Mineiro, tem buscado parcerias importantes com órgãos como a Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para garantir essa manutenção através de capacitações”, disse Dayro, referindo-se às orientações para construção de planos de negócios,  cursos de costuras, bordados, pinturas em tecidos, entre outras capacitações.