Estudante de Física da UFRN publica artigo em revista científica da Europa

26/06/2019

Por: Cefas Carvalho
Foto: Arquivo pessoal
 
A estudante do sétimo período do bacharelado em Física na UFRN Jayane Julia Pereira da Silva, conseguiu um feito acadêmico: teve um artigo publicado em uma importante revista científica (virtual e com edição impressa) europeia, a  European Biophysics Journal.   
 
Aos 22 anos, natural de Ceará-Mirim, Jayane teve o artigo "U-turn trajectories of magnetotactic cocci allow the study of the correlation between their magnetic moment, volume and velocity" publicado. Segundo ela, "refere-se basicamente ao estudo da trajetória (Volta em U) de bactérias magnéticas tal qual o momento magnético, volume e velocidade. Estou no sétimo período do bacharelado em Física e quando formada tenho duas opções: continuar na carreira acadêmica fazendo um mestrado ou fazer uma residência em física médica. Na UFRN meu projeto de pesquisa é no desenvolvimento de Sistemas teranósticos para aplicações biomédicas que envolve as áreas Física Clássica e Física Quântica", explica.
 
Para ler o artigo, acessar aqui: https://rdcu.be/bGUOn
Link da página da revista: https://link.springer.com/article/10.1007/s00249-019-01375-2
 
A universitária ressalta a importância da pesquisa e da divulgação do tema. "Acho válido falar um pouco sobre as bactérias magnéticas. Existe na natureza uma classe de bactérias que respondem a campos magnéticos através de nanopartículas magnéticas. Elas são conhecidas como bactérias magnetotáticas, e foram descobertas na Itália por volta de 1963 e depois nos Estados Unidos em 1975, existindo apenas poucos locais de estudo no mundo sobre elas. E um deles (único aqui no Brasil) é no Rio de Janeiro no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) onde foi desenvolvido o artigo junto das outras pessoas mencionadas no artigo. Essas bactérias têm a capacidade de se alinhar e navegar segundo as linhas do campo geomagnético. Esta habilidade é principalmente devida à presença de magnetossomos que são pequenos cristais magnéticos intracelulares envolvidos por membranas, ancorados ao citoesqueleto das bactérias. Esses cristais, por sua vez, podem ser de magnetita (Fe3O4) ou greigita (Fe3S4)", explica.
 
"A importância de seu estudo vem principalmente por causa da sua utilidade seja na fabricação de computadores biológicos ou até no diagnóstico de doenças  do aparelho digestivo, incluindo o câncer de estômago", registrou. 
 
Jayane Julia é a única estudante da UFRN até agora que publicou nessa revista. "Eu acho que as pessoas gostam mais de publicar nas revistas nacionais, principalmente pela comodidade de escrever tudo em português, diferentemente de uma revista internacional", assinalou.