Secretário da Semsur diz que soube recentemente de investigação sobre Fgtech

23/07/2019

Por: Hugo Vieira
Foto: Reprodução
O secretário de Serviços Urbanos de Parnamirim, Charles Quadros, disse em contato com a reportagem que soube recentemente do envolvimento da Fgtech nas investigações da "Cidade Luz".  A empresa tem um contrato de R$ 1.913.990,04 com a Prefeitura. Charles também disse não ter conhecimento sobre as relações passadas entre os sócios da Fgtech e a Enertec.
 
Uma reportagem do Potiguar Notícias mostrou que a empresa pernambucana Fgtech foi um das investigadas na operação 'Cidade Luz' deflagrada em Natal, e com desdobramentos em Parnamirim. O MPRN apontou a Fgtech como uma das participantes de um suposto cartel para obter vitória em contratos com a Prefeitura do Natal. 
 
O núcleo empresarial seria liderado pela Enertec, empresa também Pernambucana que tinha como sócio Maurício Guerra. O dono da Fgtech, José Guilherme já foi sócio da Enertec. O irmão dele, Jorge Cavalcanti chegou a atuar como diretor da mesma empresa. 
 
Segundo o secretário de Serviços Urbanos de Parnamirim, não existem decisões jurídicas que impeçam a contratação da Fgtech pela Prefeitura. Ele afirmou que todo o processo de licitação, pregão e contratação foram acompanhados pelo Ministério Público. 
 
O secretário explicou que o processo de licitação foi através de pregão eletrônico não presencial. Onde empresas de todo o país participam. "Ela [Fgtech] ofereceu o melhor preço, uma coisa que seria cerca de R$ 3 milhões baixou para R$ 1 milhão e pouco", argumentou. 
 
De acordo com o secretário, todos os contratos desde que assumiu são realizados por pregão eletrônico. "As empresas não se conhecem no pregão eletrônico, ninguém sabe quem é que está dando o lance - não existe mais aquela história em que as empresas se reuniam e apresentavam seus preços, como era no passado, o leilão é dado, e nenhuma empresa sabe o preço que as outras estão dando". Disse. 
 
Ele explicou que diante da públicidade dada ao contrato e nenhum impedimento jurídico apresentado, restou a prefeitura firmá-lo sob pena de questões legais serem apresentadas contra a Prefeitura. 
 
Charles Quadros disse não ter conhecimento das relações entre o sócio da Fgtech e o dono da Enertec. O MPRN apontou que as duas empresas também formaram um "núcleo empresarial" no município de Caicó. A Fgtech foi utilizada para "dar uma aparência de competitividade ao pregão realizado para contratação de empesa de iluminação pública, para simular uma concorrência na disputa" no município do Seridó.
 
Em junho do ano passado o MPRN deflagrou a operação 'Curto Circuíto' que prendeu o ex-secretário de serviços urbanos Naur Ferreira, e o ex-adjunto da pasta Gaspar de Lemos. As investigações em Parnamirim não citam a Fgtech, os autos apontam que o empresario Maurício Guerra através da Enertec, usava as empresas BKL Construções e Vasconcelos Arquitetura para direcionar as licitações e obter vitória nos contratos com o município.
 
O atual certame entre a Prefeitura de Parnamirim e a Fgtech foi firmado em outubro de 2018, quatro meses depois da deflagração da 'Curto Circuito' e se encerra no próximo dia 30 de setembro. A prefeitura destinou um servidor para acompanhar o contrato e os trabalhos da Fgtech no município.