O animado (e dançante) natal do prefeito Álvaro Dias

31/12/2018

Por: Cefas Carvalho
As avós tanto dos jornalistas como dos leitores já costumavam dizer "tudo que é demais é muito". Em política, a máxima costuma ser uma regra. Da mesma forma que um homem ou mulher público/a não pode nem deve "se esconder" da população. Contudo, também é necessário o ente público saber as dosagens em que deve faze-lo.
 
Talvez tenha faltado neste período natalino ao prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB) esta dosagem. Experimentando seu primeiro natal e ano novo como prefeito da capital potiguar, cargo que como então vice-prefeito "herdou" de Carlos Eduardo Alves, que renunciou para tentar o Governo do Estado, tendo perdido a eleição para Fátima Bezerra, Álvaro Dias vive uma espécie de deslumbramento compreensível. Marinheiro de primeira viagem no Executivo, Álvaro vive hoje as luzes dos holofotes do cargo.
 
Contudo, este deslumbramento não passou desapercebido da mídia, até porque a assessoria da Prefeitura divulgou à exaustão, e nem das críticas dos internautas e populares.
 
Na abertura dos shows do Natal em Natal, dia 20, Álvaro subiu no palco, cujas estrelas da noite eram o potiguar Yrahn Barreto e o cearense Fagner, para falar. Foi vaiado por parte dos espectadores, que queriam ouvir música.
 
No sábado, 29, Álvaro foi mais além. No show da baiana Claudia Leitte, além de subir ao palco, o alcaide se permitiu dançar com a estrela e ser envolvido em uma ciranda pela cantora e suas dançarinas. Álvaro escapou de uma vaia pesada porque os fãs da cantora não quiseram melindra-la. Mas o vídeo e as fotos do prefeito no palco não escaparam das críticas nas redes sociais.
 
Nada grave, claro. De certa forma é até louvável um homem público se permitir a diversão em público, entre a população. Contudo, em tempos de crise, com a cidade de Natal passando por diversos problemas (entre eles atrasos no pagamento do funcionalismo durante o ano) não "pegou bem" entre a população, a alegria e otimismo exacerbados de Dias.
 
Wilma der Faria subia de vez em quando nos palcos, quando prefeita de Natal. Geralmente era aplaudida. Carlos Eduardo dez vez em quando se arriscava, por vezes era aplaudido, outras, vaiado. Mas Wilma e Carlos tinham longo lastro político na capital.
 
Álvaro, político seridoense ainda iniciante em Natal, cuja prefeitura lhe caiu no colo, sonha em ser mais conhecido pela população da cidade e em ser reeleito. Resta saber se compartilhar o palco com artistas é a estratégia adequada para isso.