Relato de uma parnamirinense de coração

22/01/2018

Por: Zefinha Paisinho
Foto: Arquivo pessoal
Tenho minhas raízes no Seridó do Rio Grande do Norte, precisamente em Carnaúba dos Dantas onde nasci e de onde saí aos 7 anos de idade. Morei em Cruzeta,  Natal, Monte Alegre e por fim  aos 14 anos cheguei a essa querida cidade de Parnamirim, onde meus pais buscavam melhores condições de vida e, principalmente a continuidade dos estudos para mim e meu irmão Marciano uma vez que Do Céo já estudava no Colégio das Neves em Natal, pois as cidades onde moramos anteriormente só ofereciam o "Curso Primário".Com o apoio do irmão mais velho João Paisinho, comerciante nesta cidade, aqui cheguei com minha família aos 14 anos de idade. Era o ano de 1957!
 
Nos anos de 1957/1958, um grupo de idealizadores entre eles o professor Eliah Maia do Rêgo e o Padre João Correia de Aquino entre outros, planejavam a criação de uma Entidade Educacional que oferecesse aos jovens a continuidade de seus estudos e assim surgiu o "Ginásio Augusto Severo", berço de tradições e ensinamentos para jovens que como eu aspiravam a continuidade dos estudos.
 
Fiz então meu curso ginasial (hoje Ensino Fundamental 2) e fui fazer o Curso de Magistério na então Escola Normal de Natal mas sempre morando e vivenciando toda a história dessa cidade.
 
A partir de 1963 comecei a lecionar a disciplina de História no próprio Ginásio Augusto Severo o qual ainda funcionava na Escola Estadual Presidente Roosevelt.
 
Aqui em Parnamirim vivi anos áureos da minha juventude! Vivi e participei intensamente de todos os momentos sociais oferecidos por essa querida cidade, onde fiz grandes amigos, muitos dos quais permanecem até hoje.