Carta de amor a 2017; E Feliz 2018!

30/12/2017

Por: Thiago Medeiros
Foto: arquivo pessoal ao autor
Um respirar clichê em um ano que nem de longe parece o mais fácil na minha jornada, mas sem dúvida, o ano que veio me mostrar e me fazer mais forte e está dando tudo certo.
 
Experimentei o melhor e o pior do ser humano e de tudo o que experimentei quero ficar com o melhor que senti, vivi e vi. Tudo o que vem acontecendo neste ano só sublinhou e sublinha minha natureza: eu sou do amor, da amizade, da luz, da simpatia e da potência.
 
Agradeço aos dias de terapia, a poesia, ao teatro por serem curas para suportar os dias e me dar forças pra saber que EU NÃO DESISTO e transformar os pesos em que aparecem em dádiva, em cura, em agradecimento e, quem sabe, poesia.
 
Derramar meu sangue pelo que acredito só me fez acreditar mais em mim e me admirar e me amar mais, minha força é minha melhor dádiva
 
Olhar pra mim com amorosidade foi meu melhor e grandioso desafio. Gosto muito mais desse rapaz agora, mais que ontem, vivendo o agora que soma em si todos os tempos. Cruzei com muita gente, abracei muita gente, me reconheci e me remotivei dentro do caos e tudo isso foi movido por muito AMOR.
 
Trabalhei muito com muito amor dedicado ao que gosto, reaprendi autoestima, amor próprio e não desesperei pelo amor que não chegou, porque estou me curando de muitos amores abusivos e engrandecedores que vivi. Aprendi a agradecer, a ser grato e entender os tempos, que sempre vai ser tempo de aprender, que os processos internos pessoais são únicos e nunca vao ser iguais aos de ninguém.
 
Em todas as etapas desse ciclo regido por saturno, 2017 me diz: Seja curioso, teime, esteja disposto a aprender. E aqui estou eu com saliva nos olhos, me amando e querendo descobrir com as lições de casa que este ano me dá.
 
Venha 2018, estou curioso pra viajar contigo e aprender mais. Que cada um possa respirar em si, entender seus processos e respeitar os dos outros, respeitando a si. Em todos os caminhos, quero ser leal a mim e ser generoso.
 
Que tudo o que vier nos ajude a ser mais leves.
 
Agradeço a minha família por todo o amor retroalimentado, a minha família de amigos.
 
"tem que dançar a dança e a nossa dor , balança o chão da praça"
 
P.s: Essa foto representa muito este ano, minha mãe é o que sou, pois minha mãe é minha voz.
 
Feliz 2018, 
 
Thiago.