Setecentos imigrantes desaparecem em naufrágio no Mediterrâneo

19/04/2015


Foto: Naufrágios de barcos clandestinos são comuns no mar Mediterrâneo (ANSA)
Cerca de 700 imigrantes estão desaparecidos no Mar Mediterrâneo, depois de o barco em que viajavam com destino à Itália ter naufragado a 60 milhas da costa da Líbia, informaram meios de comunicação locais.
 
As mesmas fontes, citadas pelas agências EFE e AFP, acrescentam que 28 pessoas foram salvas. O barco transportava mais 700 pessoas. Pelo menos 24 corpos já foram resgatados pelos serviços da Guarda Costeira e a Marinha, em colaboração com a Armada de Malta.
 
O naufrágio teria ocorrido à noite, segundo o testemunho de um dos 28 imigrantes salvos. O relato foi confirmado pela porta-voz do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para Refugiados na Europa do Sul, Carlotta Sami.
 
O imigrante contou que a Guarda Costeira recebeu uma chamada de socorro durante a noite, avisando que uma embarcação se encontrava em perigo. Diante da impossibilidade de chegar a tempo, pediu ajuda a um navio português que navegava na área, que se desviou até o local.
 
Quando o navio se aproximou da embarcação, os imigrantes "posicionaram-se todos do mesmo lado, provocando o naufrágio".
 
O navio com bandeira portuguesa iniciou então os trabalhos de resgate, até a chegada de unidades da Guarda Costeira italiana, da Marinha Militar e da Armada de Malta, já que o naufrágio ocorreu nas águas que cercam essa ilha.