Vasco e Flamengo empatam por 0 a 0 na primeira semifinal do Carioca

12/04/2015


Foto: Clássico tem luta, jogadas violentas, mas nenhum gol
Vasco e Flamengo empataram em 0 a 0, neste domingo (12), na primeira partida da semifinal do Campeonato Carioca, em jogo tenso, brigado, e que teve o goleiro rubro-negro Paulo Victor, um dos grandes destaques do duelo, com quatro grandes defesas, uma em cada tempo. Com o resultado, daqui exatamente uma semana, também no Estádio do Maracanã, o time da Gávea jogará por um empate para ir a decisão, independente do número de gols que forem marcados, enquanto ao cruz-maltino, só a vitória interessa
 
Antes da bola rolar, houve muito mistério, com os técnicos fechando treinamentos de apronto. No Vasco, Doriva apresentou time com Rodrigo de volta, após o zagueiro se recuperar de lesão, além disso, Marcinho ganhou a vaga de Jhon Cley. Vanderlei Luxemburgo, por sua vez, escalou o também recuperado Canteros no lugar de Luiz Antônio. Mais entrosado, o Flamengo começou melhor, marcando mais avançado e até chegou em cabeçada de Alecsandro, logo aos 2 minutos. O Vasco, contudo, logo se mostrou perigoso nos contra-ataques.
 
O jogo
 
Aos 10 minutos, o clássico já pegou fogo, quando Jonas acertou pé alto no rosto de Gilberto. Os jogadores foram para cima do árbitro João Batista de Arruda e reclamaram muito por o volante rubro-negro só receber amarelo. Para evitar uma expulsão, Luxa tirou o comandado ainda aos 17 minutos, colocando Éverton em campo.
 
O melhor lance do primeiro tempo foi do Vasco e aconteceu aos 30, quando Julio dos Santos acertou cabeçada após escanteio cobrado por Marcinho, parando em espetacular defesa de Paulo Victor. Pouco depois, foi a vez de Martín Silva aparecer, evitando com os pés que o Flamengo marcasse com Marcelo Cirino.
 
Na segunda etapa, o confronto seguiu muito brigado, com mais jogadas duras do que lances bonitos. Aos 16, quem apareceu outra vez foi o goleiro rubro-negro, em grande intervenção, após finalização à queima-roupa de Rafael Silva. Paulo Victor brilhou ainda aos 36 minutos, quando Madson cruzou da direita e achou Bernardo. O meia-atacante não pegou de jeito na bola, parando em outra defesa do melhor em campo no jogo. A grande atuação do camisa 12 do time da Gávea foi coroada em um lance bisonho de Pará, que quase marcou contra de cabeça, sendo salvo pelo companheiro de time, que se esticou todo para defender.