Empresa potiguar recebe prêmio por pioneirismo na implantação de NFC-e

22/11/2013

Por: Silvia Miranda

O secretário de Tributação, José Airton, e o empresário Afrânio Miranda, diretor administrativo da Miranda Computação, receberam esta semana um prêmio pela participação no projeto piloto de implantação da Nota Fiscal Eletrônica para o Consumidor Final (NFC-e) no Brasil. O prêmio foi entregue durante o Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários (ENCAT), realizado nesta segunda (18) no Rio Grande do Sul (RS). Foi em uma loja da Miranda que saiu a primeira nota padrão NFC-e no Rio Grande do Norte (RN) e uma das primeiras no país. O lançamento da NFC-e no RN aconteceu em abril, durante solenidade na Miranda da Avenida Prudente de Morais e contou com a presença de toda imprensa potiguar.

Diferente da Nota Fiscal Eletrônica, lançada em 2008, a NFC-e é uma solução específica para o consumidor final, opção aos modelos já existentes de cupom fiscal e nota fiscal em papel. “A Miranda se ofereceu para participar do projeto e há meses estamos em trabalho conjunto com a Secretaria de Tributação na implantação do novo sistema que, futuramente, irá beneficiar todas as empresas do RN”, afirma o empresário Afrânio Miranda. A fase piloto para a implantação começou desde 2011 com apenas algumas empresas voluntárias em alguns estados do Brasil, incluindo a Miranda, e só foi lançada oficialmente esta semana, durante o evento no RS.

A NFC-e tem como objetivo fortalecer a segurança da operação de emissão de nota fiscal, pois passa a acontecer em meio digital, em tempo real. Com a virtualização do processo, não haverá mais a necessidade de utilização de impressoras fiscais, que tem alto custo de implantação para o empresário, além de evitar a necessidade de o consumidor acumular papel. “O consumidor pode solicitar que a nota seja enviada por e-mail ou, caso disponha de smartphone com câmera, poderá escanear o QR Code(código de barras bidimensional), acessar todas as informações contidas na NFC-e e optar por imprimir o documento”, explica Afrânio.

Com a nova nota fiscal, o cidadão, além da compra simplificada, terá a facilidade de acesso aos documentos fiscais, que ficarão arquivados, de forma eletrônica, no site da Secretaria da Fazenda do seu estado, o que também garante a autenticidade de sua transação comercial. Para os governos, surge a possibilidade de criar programas de incentivo à nota fiscal eletrônica com sorteios e outros tipos de iniciativas, aumentando, assim, a arrecadação. Além disso, a transmissão de informações será feita em tempo real, diferente do cupom fiscal comum que, hoje, só chegam aos fiscos estaduais até quatro meses depois da sua emissão.

Fonte: Assessoria de Comunicação