Carlos Maia: Desativação do aeroporto será um prejuízo para Parnamirim

01/08/2013

Por: Potiguar Notícias
Em entrevista ao jornalista José Pinto Júnior para o Potiguar Notícias, o vereador Carlos Augusto Maia falou sobre seu mandato, Legislativo e política de modo geral.
 
Eu vi através das redes sociais que o senhor interveio através de um megafone com durante a ocupação da Câmara de Parnamirim, negociando com os manifestantes. Me conte como foi? 
Como foi noticiado, fizemos uma comissão para receber os manifestantes como forma de fazermos alguma negociação diante da pauta que eles apresentaram e eu e mais três colegas fomos responsáveis por fazer essa negociação com os demais jovens que estavam na Câmara. 
 
E depois terminou tendo um  quebra-quebra, uma parte dos jovens não estavam abertos ao diálogo , enquanto a maioria me pareceu estar. 
A manifestação é um direito de todo cidadão é um instrumento que a sociedade tem para fazer pressão, de pressionar e demonstrar que não concorda com os rumos que o estado, o município ou o país está tomando, mas infelizmente algumas pessoas se infiltram nesses movimentos sociais e acabam cometendo crimes, muitas vezes crimes graves, contra o patrimônio público, por exemplo. E eu creio que serão tomadas as providências contra essas pessoas. 
 
Inclusive, tira-se o brilho do movimento. Da democracia.. 
É. Um movimento que é legítimo, passa a ser até mal visto por parte da sociedade, por conta daqueles manifestantes que excederam o direito de expor suas ideias. 
 
Qual sua avaliação dos trabalhos da Câmara Municipal de Parnamirim nesse primeiro semestre?  Digo isso porque ela está em recesso, voltando dia 15 de agosto.
O balanço feito é extremamente positivo. A Câmara Municipal de Parnamirim (é bom até que seja divulgado) debateu diversos temas, fizemos diversas audiências públicas, inclusive com a questão do transporte público, foram feitas duas audiências públicas com representantes de todos os seguimentos da sociedade civil e do poder público. Algumas medidas deixaram de ser tomadas pois ultrapassam a competência e a atribuição dos vereadores, no caso dos transportes públicos, dependemos do governo do estado. Mas o que Câmara fez e foi extremamente positivo, foi diversas leis foram aprovadas. 
 
Você pode destacar algumas? 
Desde a legislação da questão de combate ao mosquito da dengue, criar cotas para as empresas que contribuíram com o poder público contratando ex-presidiários, de minha autoria. E diversos outros temas, como educação de acordo com os limites da lei de responsabilidade fiscal e diversos outros temas. 
 
A questão do aeroporto também foi debatida?
Bastante debatida. Inclusive foi tema de audiência pública com representantes da ANAC, da INFRAERO, deputados federais estiveram presentes para debatermos o que será feito do aeroporto a partir de 12 de abril do próximo ano, data prevista para sua desativação 
 
Faltam 9 meses, então; 
Eu creio que não irá desativar assim de uma vez, mas foi bastante discutido porque tem a questão dos empregos dos vários envolvidos que trabalham naquele aeroporto. E será um grande prejuízo para o município de Parnamirim. 
 
Em relação à oportunidade para os ex-presidiários, o governo federal tem um projeto nessa área, não é? De incentivar as empresas a darem oportunidades, impedindo que essas pessoas voltem para o crime. 
Isso. Inclusive a própria lei de execuções penais ela prevê que o preso, em regime aberto ou semiaberto, pode trabalhar. E esse projeto que eu apresentei na Câmara Municipal para as empresas que contratarem com o poder público municipal a titulo de construção civil, limpeza urbana e recolhimento de lixo, elas tenham um percentual de 5% de ex-presidiários, de pessoas egressas de preferência do sistema prisional potiguar, justamente para que o poder público incentive que aquela pessoa não volte ao mundo do crime, afinal todos merecem uma segunda chance. 
 
Quando você apresenta esse projeto para as pessoas da maioridade (melhor idade), de 50 anos. Você percebe que há uma discriminação no mercado de trabalho em relação às pessoas de mais idade? 
Bem, esse projeto de conceder as empresas contratadas pelo município a contratar pelo menos 5% dos funcionários com mais de 50 anos, justamente pois para o setor privado essas pessoas já não são tão atrativas, mas sabemos que uma pessoa de 50 anos ainda está em sua plena capacidade física, mental e intelectual para desenvolver qualquer trabalho. E é um grande prejuízo para a pessoa com 50 anos não ser aceita pelo setor privado como mão de obra. Muitas vezes elas são qualificadas, mas há um medo por parte das empresas, de contratá-las e muitas vezes esse pessoal falta pouco tempo de contribuição para o benefício previdenciário então a solução mínima é que o poder público interfira nessa questão para que pelo menos 5% dos funcionários dessa empresa que goze de alguma forma de incentivos ficais do município de parnamirim, que eles possam contratar e eu conto com a sociabilidade do prefeito para que ele sancione a lei. 
 
Você já conversou pessoalmente com ele sobre a lei?
Eu já apresentei a lei e agendei uma conversa, mas eu creio que se ele entender que é constitucional, ele vai sancioná-la. 
 
Para o próximo semestre, quais os principais desafios da Câmara Municipal de Parnamirim, em sua opinião? Com movimentações, com mobilizações populares? 
Eu creio que a grande espectativa é que sejam tratados assuntos sobre políticas públicas para a região metropolitana. Não dá mais para pensar só em Natal e só em Parnamirim, Extremoz, Macaíba. Nós temos que desenvolver projetos que contemplem a região metropolitana. A questão do transporte, ela pode ser barateada se pensarmos em um projeto que contemple a região metropolitana, quando então teríamos de repente tarifas unificadas. É preciso políticas públicas voltadas para a região metropolitana.
 

Fonte: Potiguar Notícias