Secretário de Desenvolvimento de Goianinha fala sobre pólo industrial

30/07/2013

Por: Marina Cardoso
O secretário de desenvolvimento do município de Goianinha, Teo Tomaz, esteve no programa Conexão Potiguar.
Durante entrevista ao jornalista Pinto Júnior, o secretário falou sobre o Polo Industrial de Goianinha, que vem sendo discutido e projetado desde 2008. Teo Tomaz afirma que mais de 50 empresas (de pequeno e médio porte, além de empresas âncoras) já manifestaram a intenção de participar do Polo, algumas inclusive estão entre as 150 melhores indústrias para se trabalhar no país. Até o momento oito empresas já estão formalizadas e prontas para integrarem o polo.
 
 O secretário falou ainda que durante uma reunião entre o prefeito Júnior Rocha e o diretor do DER, Demétrio Torres, ficou decidido que nos próximos quinze dias os processos licitatórios dos projetos de infraestrutura do Polo estarão encerrados. A partir de então, a empresa que ganhar a licitação já poderá dar início as obras de construção.  
 
Sobre a infraestrutura do Polo Industrial Avançado, Teo afirma que o projeto se difere da maioria dos polos existentes no estado.  “Este será o primeiro a ser asfaltado, com vias de 30 metros de largura e um dos únicos com fornecimento de gás natural” diz.
 
Ele afirma: “O projeto é sério. Não é um processo político e sim administrativo, que objetiva povoar economicamente um município com grandes dificuldades econômicas”. Na região agreste, que tem uma economia voltada para a agricultura familiar, cana de açúcar e pecuária, a indústria é algo novo, mas que é tendência. A usina, que antes era um grande polo de emprego, hoje já não é mais devido à mecanização das suas atividades. O Polo Industrial é aguardado, pois com sua ativação ele será uma grande fonte de geração de empregos.
 
Além disso, o secretário espera um aquecimento no setor imobiliário no município e afirma que o Polo será o primeiro projeto de impacto socioeconômico da região agreste.
 
Sobre os incentivos fiscais, Teo Tomaz disse que a secretaria de desenvolvimento econômico atua com o Governo do estado para oferecer estímulos ao projeto. “O PROAD, incentivo a redução do ICMS, o IMPORTERN, que reduz impostos para a importação de insumos e máquinas e o Progás (em parceria com a Potigás), são alguns dos projetos de apoio do governo.”
 
O secretário comenta que a localização do polo (que fica as margens da BR entre Natal e João Pessoa) facilita a visibilidade das empresas.
Atualmente indústrias do setor automobilístico, de embalagem, de bebida, metalúrgica, de móveis, alimentos farináceos da Nestlé e a maior indústria de celulose da América Latina tem interesse em construir sedes em Goianinha.

Fonte: Potiguar Notícias