Ananda Carvalho

31/10/2019
Autores que odeiam as adaptações para o Cinema
 
Não é incomum autores não serem muito fãs das versões cinematográficas de suas obras. Alguns casos dá pra entender os motivos, mas, em outros parece bastante que é birra, já que alguns filmes são bem mais reconhecidos que os livros em que foram baseados.
 
Um autor conhecido por quase sempre criticar os filmes (que não são poucos) baseados em suas obras é o Stephen King, o mais célebre sendo as diversas criticas que o autor faz sobre o filme O Iluminado, dirigido por Kubrick, a critica principalmente pela mudança do final e pela escolha de elenco, mas com o sem a aprovação do autor.cO filme se tornou um clássico e é considerado um filmaço até hoje.
 
Winston Groom, autor de Forrest Gump, não ficou nem um pouco feliz com o filme, criticando bastante o Tom Hanks como Forrest (mesmo ele ganhando Oscar de melhor ator pelo papel), e criticando o personagem em si, dizendo que poliram o protagonista para ser mais aceito, inclusive a primeira frase da continuação Gump & Co. é “Nunca deixe alguém fazer um filme sobre a sua história”.
 
O autor de A Fantástica Fábrica de Chocolate, Roald Dahl, mesmo dando umas ajudas no roteiro, não ficou nem um pouco feliz com o resultado final da versão de 1975, criticando inclusive o ator Gene Wilder, considerado um dos pontos altos do filme, mas o autor disse que não gostou do protagonismo ir para o dono da fábrica em vez do Charles, tendo o nome sendo mudado e inclusive, de “Charlie and the Chocolate Factory” para “Willy Wonka and the Chocolate Factory”. 
 
Além de clássicos como Mary Poppins, Laranja Mecânica, e filmes novos como Eu sou a lenda e Bussola de Ouro, todo criticados pelos autores. Alguns desses filmes são muito consagrados, dá pra entender que os autores criticam mais pelas mudanças entre as obras.
 
Já alguns outros você entende por que o escritor ficou chateado de fazerem isso com seu livro.