Ananda Carvalho

05/09/2019
 
Não só em Setembro
 
 
Em 2015, no Brasil foi criada a campanha Setembro Amarelo pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), associando a cor ao dia internacional de prevenção de suicídio (10 de setembro). Normalmente escolas, instituições em geral, empresas apoiam essa campanha, fazendo ações dentro e fora de suas sedes.
 
O índice de suicídio no país aumentou principalmente entre os adolescentes, mais ainda entre os garotos. “Os dados mundiais da OMS mostram que 47,9% dos países possuem taxa de suicídio masculino igual ou acima de 15/100 mil, estando 19,5% entre 10 e 14,9/100 mil.
 
Já em relação às mulheres, 46,9% dos países registram índices abaixo de 5/100 mil e 40,7% entre 5 e 9,9/100 mil. No Brasil, o índice de mulheres que morreram por suicídio em 2015 foi de 2,7/ 100 mil, enquanto os homens atingiram taxas quase quatro vezes superiores, 9,6 por 100 mil habitantes.”
 
É muito importante se falar cada vez mais sobre, mas algo que se reclama muito é de pessoas, principalmente na internet, que passam o ano fazendo posts tóxicos, diminuindo problemas alheios, incluindo depressão, menosprezando a situação das pessoas, para em setembro passar o mês falando sobre como se tem que apoiar os outros e não julgar.
 
É importante se falar ainda mais sobre nesse mês especifico, mas agir assim só em setembro, e sim pôr em prática o que se fala agora ao longo do ano.
 
Para quem tem interesse em se informar, se conscientizar ou tentar conversar com alguém que realmente saiba sobre, o site do Setembro amarelo e do CVV (Centro de Valorização da Vida) estão aí, você pode falar com um voluntário do CVV ligando para o número 188, gratuitamente.