Andrezza Tavares

18/08/2019

Educação ambiental como práxis entre ecossistemas e culturas planetárias

Por Andrezza Tavares

     

     A educação ambiental se constitui numa forma abrangente de educação que se propõe a atingir todos os cidadãos através de um processo pedagógico participativo e permanente. O princípio da educação ambiental tem por objetivo estimular espaços formativos que se destinem a desenvolver pessoas para a consciência crítica sobre a problemática ambiental, para a percepção da gênese e da evolução ambiental, bem como para a sensibilidade sobre a preservação da vida e das expressões culturais no planeta.

     O relacionamento da humanidade com a natureza a princípio tinha um mínimo de interferência nos ecossistemas. Hoje, porém, tem culminado numa forte pressão exercida sobre os recursos naturais, sendo comum a contaminação dos cursos de água, a poluição atmosférica, a devastação das florestas, a caça indiscriminada e a redução ou mesmo destruição dos habitats faunísticos, além de muitas outras formas de agressão ao meio ambiente.

    Diante desse contexto, é clara a necessidade de transformação do comportamento humano em relação à natureza. É preciso que diferentes instituições e movimentos se unam na promoção do desenvolvimento sustentável enquanto processo que assegure a gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das gerações futuras e, ao mesmo tempo, atender as necessidades das gerações atuais.

     A qualidade de vida no planeta está associada a reunião de esforços interdisciplinares para a compatibilização de práticas conservacionistas do planeta terra. O cuidado com a questão dos dejetos  fisiológicos humanos é uma dessas problemáticas, mas certamente, o pensamentos sobre o desmatamento e a dominação capitalista industrial devem ocupar maior centralidade nos espaços de educação ambiental que se destinam a colaborar com a preservação do planeta.