José Pinto Júnior

06/08/2018
O governador Robinson Faria (PSD) vai para a eleição em um contexto, onde ele próprio evoca a palavra: Superação. Terá que superar tudo diante de números desanimadores, até agora apresentados em diversas pesquisas amplamente divulgadas. 
 
O governador deverá responder a perguntas duras em relação à questão da insegurança, do atraso dos salários dos servidores e da dificuldade fiscal do Estado. Pelo que demonstrou na convenção deste domingo (05), não deixará pergunta sem resposta. Responderá e atacará a possível contradição de quem o atacar. Esta parece ser a tática do governador candidato a reeleição. 
 
Com Fátima liderando as pesquisas, o maior embate no primeiro turno deverá ser entre Robinson Faria e Carlos Eduardo Alves. Isto porque ambos desejam  passar para o segundo turno e enfrentar Fátima Bezerra. 
 
A estratégia de Fátima Bezerra (PT) deverá ser evitar o conflito aberto no primeiro turno para tentar o apoio do terceiro colocado no segundo turno. 
 
Qual é o desafio do governador Robinson Faria para chegar ao segundo turno? Para ascender na segunda peleja, Robinson depende dos prefeitos transferirem os votos nos municípios. Se os prefeitos entregarem os votos, o governador chegara lá. Se os prefeitos não entregarem os votos, o governador dificilmente passará para o segundo turno. 
 
Robinson já fez o que podia, ao aglutinar mais de 80 prefeitos. No dia 7 de outubro saberemos se os prefeitos lideram o voto de seus conterrâneos ou não. Até lá, todos lutarão deseperadamente para que o eleitor e a eleitora lembrem de seu número na hora de apertar o botão "confirma" na urna eletrônica.