Andrezza Tavares

10/07/2018

Hélio Teodósio de Melo filho
Sandra Nery da Silva Bigois
Andrezza Maria Batista do Nascimento Tavares
Francinaide de Lima Silva Nascimento


Segundo o educador Célestin Freinet existe uma forte relação entre a Infraestrutura das escolas e a influência sobre o ensino e a aprendizagem dos alunos. Investimento em infraestrutura escolar significa ampliação das possibilidades de aprendizagens e dos usos sociais do espaço escolar.


Quais são os espaços da escola que oferecem condições para os professores desenvolverem um ensino mais dinâmico, criativo e questionador?  Como a estrutura física interfere no processo de ensino-aprendizagem? São questões que surgem quando o pensamento é o poder pedagógico da escolar!


As bases teóricas da Pedagogia de Célestin Freinet se sustentam nas suas compreensões sobre a influência da estrutura escolar sobre a aprendizagem, bem como nas suas concepções acerca da escola urbana, e da interação com a comunidade. 


Nesse contexto, Freinet defende à boa estrutura física escolar, quanto a necessidade de, em todos os níveis de ensino, a criança ter contato direto com o ambiente natural. A escola rural pela sua localização, já reunia todas estas condições. Na escola urbana, construída em ambiente configurado pelo homem fazia-se necessário oferecer ambientes que permitissem a exposição ao sol, boa ventilação, terreno seco, se possível longe o barulho da rua dos carros e das fábricas. Nessas escolas tanto rurais como urbanas deveriam possuir ambientes que proporcionasse a instalação de oficinas de trabalho; ambientes planejados em que a criança tivesse contato direto com elementos da natureza e que permitisse o interesse e indução para exploração da mesma. Havia também preocupação com o mobiliário a ser utilizado pelo aluno e professor, com eliminação do estrado, favorecendo uma maior proximidade e ligação afetiva entre professor e aluno que, estando em contato direto, proporcionaria a livre expressão e comunicação entre o aluno e o professor. O professor teria como papel monitorar e colaborar com seus alunos, pois com essa maior aproximação conseguiria conduzir o processo de desenvolvimento do aluno respeitando suas etapas de desenvolvimento (PERONIER, 2001).

UMA AULA PASSEIO PELA ESCOLA ESTADUAL GOVERNADOR WALFREDO GURGEL

As nossas observações na Escola Estadual Governador Walfredo Gurgel, foram realizadas por meio de uma visita ao local no dia 11 de junho de 2018. Nesta oportunidade fizemos alguns registros fotográficos de ambientes de aprendizagens como as áreas de convivência, de algumas salas de aula, dos laboratórios, da biblioteca e do arquivo permanente. Entrevistas com professores, funcionários e alunos, e consultas as documentações de ordem administrativa, sendo, ao final, elaborado uma fotorreportagem sobre o funcionamento daquela instituição de ensino.

ANÁLISE DOS REGISTROS FOTOGRÁFICOS

​A análise foi abordada a partir das impressões pessoais dos autores da fotorreportagem, embasada nas leituras que fizemos sobre Célestin Freinet.

FOTO 1 - Área de Convivência da escola
Fonte: Acervo do autor, (2018)

Nesta imagem podemos observar as áreas de lazer da escola, nesse contexto a área é a praça de lazer da escola. É necessário que a escola e o governo do estado, valorize e aproveite os espaços da escola, em especial seus espaços de lazer, pois as atividades de lazer são formas de divertimento, descanso ou desenvolvimento que podem trazer inúmeros benefícios para os alunos e para equipe pedagógica em geral, não só para sua saúde física, como para sua saúde mental e psicológica.

FOTO 2 - Expressão artística na escola
Fonte: Acervo do autor (2018).

Nesta foto, percebe-se a importância da arte no ambiente escolar; nesse contexto essa imagem mostra um aspecto positivo da escola, que é a valorização da arte popular. Diante disso a Arte Popular em sua essência é a manifestação de seu povo, do povo da comunidade escolar que tem a grande possibilidade de se fomentar a formação da cultura regional em que aquele aluno estava inserido.
Portanto, a arte popular normalmente nesta escola não tem só um viés decorativo mais também representa a expressão social dos estudantes. A arte popular normalmente exprime um sentimento comum ao meio onde se desenvolve. Nesse prisma de abordagem os estudantes expressão sua originalidade e percepção de mundo. 

FOTO 3 - Quadra esportiva
Fonte: Acervo do autor (2018).

Nesta imagem percebe-se o espaço da atividade física. Nos textos analisados, Freinet defendia que a função da escola pública é oferecer às crianças uma educação que permita sanar as necessidades individuais, sociais, intelectuais, técnicas e morais da vida. E a prática de esportes é isso, um fator social muito importante, por permitir aos sujeitos um desenvolvimento integral. Por meio do esporte se adquire habilidades físicas e sociais, valores, conhecimentos, atitudes e normas. O esporte é uma forma de sociabilização e de transmissão de valores, bem como um fenômeno que possui uma linguagem universal.


FOTO 4 - Laboratório de Jogos Matemáticos
Fonte: Acervo do autor (2018).

Nesta imagem temos o laboratório do PIBID em Matemática na EEGWG onde é ofertado ao aprendizado dos alunos, jogos educativos em matemática, e como exemplo podemos citar Xadrez. Nesse contexto percebemos um aspecto positivo da escola, pois o PIBID, veio fortalecer, ampliar e promover ações de pesquisa e formação de professores, integradas entre as universidades públicas e as escolas públicas de educação básica.
Nesse contexto, destacamos a importância da escola pública para programas como o PIBID que teve ameaçado parar suas atividades em função dos cortes  federais com a educação pública.

FOTO 5 - Biblioteca
Fonte: Acervo do autor (2018)

A biblioteca deve ser a grande aliada dos professores, deveria ter um acervo atualizado, organizado, bem sinalizado, deveria ser um ambiente climatizado, com cadeiras e mesas limpas, com um mínimo de conforto.
Quando chegamos na biblioteca tinha um grupo de alunos discutindo um assunto e a professora deles estava lá também. Para Freinet as atividades pedagógicas devem ser prazerosas e não impostas, os alunos devem se sentir livres e a vontade para executar as atividades dentro do tempo previsto da aula sem que o professor fique vigiando.

FOTO 6 - Sala de aula
Fonte: Acervo do autor (2018).

Nesta imagem observamos uma sala de aula o palco principal da aprendizagem  escolar. Freinet (2004) diria o seguinte: “Você pretende confinar as crianças numa sala de aula estéril, onde não encontram nada que outras gerações de crianças não tenham pervertido e banalizado, nada que lhes mate a fome de conhecimentos e a sede de amor”.
Vale mencionar aqui que o ambiente externo da escola também precisa  ser um lugar agradável aos olhos, livre de mato e outros perigos como animais peçonhentos, usuários de drogas, estupradores, doenças ... . ​

DESCRIÇÃO DO LOCAL

A Escola Estadual Governador Walfredo Gurgel (EEGWG), localizado na Rua Bento Gonçalves, s/n, CEP: 59065-150, no bairro de Candelária, na cidade do Natal-RN, o nome da escola EEGWG é de um sacerdote católico e político, que nasceu na cidade de Caicó/RN em 1908. Walfredo Dantas Gurgel era filiado ao PSD e foi eleito deputado federal em 1945 e governador em 1966. Em sua carreira eclesiástica chegou a ser Monsenhor. Foi um opositor a Intentona Comunista de 1935 e faleceu em 1971. A EEGWG foi inaugurada em 1978, pelo governador Tarcísio Maia, ela oferece os segmentos de Ensino Fundamental e Médio, e funciona nos três turnos. No Ensino Fundamental são turmas que vão do 6º ao 9º ano e Turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) que vão do 1º ao 8º ano. Atualmente o EJA não funciona nessa escola.
A escola está localizada no bairro de Candelária, um dos bairros centrais e de fácil aceso, com bastantes vias e transporte público. Ela divide um grande quarteirão com uma praça, uma lanchonete e a Igreja Nossa Senhora de Candelária. Próximo à escola, está a Delegacia de Plantão da Zona Sul, várias residências e comércios de diversos ramos. É considerado um bairro de baixa violência da cidade, porém, registra furtos e roubos, principalmente a estabelecimentos comerciais. Observando e perguntando a comunidade escolar, eles responderam que a clientela da escola é formada, em sua maioria, por pessoas que residem em outros bairros, em especial o Bairro do Planalto e Felipe Camarão. O bairro de Candelária se caracteriza por ter moradores de elevado poder aquisitivo que pouco interagem com a comunidade escolar.

ESTRUTURA DA ESCOLA

A EEGWG possui em sua estrutura: prédio principal, quadra poliesportiva, campo, estacionamento e grandes áreas que não possuem utilidade (abandonadas e malcuidadas). No prédio principal estão as salas de aulas, sala dos professores, salas administrativas, pátio, cozinha, biblioteca, sala de informática, auditório, almoxarifado.
A Escola dispõe de 18 (dezoito) salas de aula, sala para professores, sala de direção, sala de vídeo, biblioteca, auditório, sala do apoio pedagógico, secretaria, sala de digitação, de educação física, almoxarifado, 02 (dois) laboratórios de informática, 01 (um) laboratório de física e química 01 (um) laboratório de jogos matemáticos, 15 (quinze) banheiros, 02 (dois) vestiários, 01(uma) cozinha, 01 (uma) quadra de esporte e pátio.


Conclui-se que a estrutura física da escola consiste em um conjunto que abrange não apenas os espaços físicos, mas os profissionais que fazem parte do ambiente escolar, a comunidade escolar, alunos, pais, vizinhos em si e principalmente, os insumos.


Compreendemos que a escola é o principal espaço social onde acontecem as principais relações do ensinar e do aprender.

REFERÊNCIAS

ESCOLA ESTADUAL GOVERNADOR WALFREDO GURGEL. Projeto Político Pedagógico (PPP). Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

FREINET, Célestin. Pedagogia do bom senso. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
Disponível em: . Acesso em: 23jun.2018.

PERONIER, Henry. Celestein Freinet: Pedagogia y emancipacion. México: Siglo Vietiono Editores, 2001.