Wellington Duarte

08/07/2018
Estamos assistindo um bizarro espetáculo em que os últimos resquícios de democracia estão sendo jogados no esgoto por desembargadores, juízes, policiais federais e meios de comunicação. Não há mais como contestar que estamos num Regime de Exceção e as provas, se é que ainda precisavam de mostras, elas agora estão ai para quem quiser ver.
 
O banzé instalado no Esculhambaquistão, devido à expedição de um Habeas Corpus, por parte do Desembargador Rogério Favreto, feito na parte da manhã, desencadeou um dos espetáculos mais deprimentes e bizarros já vistos na história republicana desse sofrido país.
 
Segundo o próprio deputado federal Waldih Damous (PT), bastou que as vivandeiras soubessem do HC, para farfalharem suas asas e avisassem ao Inquisidor Moro, que se encontra em Portugal, de férias, e este, de pronto, ligasse para o delegado meganha de Polícia Federal e "ordenasse" que o mesmo não soltasse Lula.
 
A partir dai viu-se uma verdadeira "cachorrada jurídica", que envolveu, além de Favreto, Moro e o Meganha de plantão, o relator do processo contra Lula, Gebran Neto, que meteu a canetada em cima do Favreto, que revidou com outra canetada. Virou uma briga de rua.
 
Acrescente-se a esse cenário, os comentaristas da Gloebbels, a emissora que já perdeu a vergonha há muito tempo, quase surtando de ódio, ao comentarem a possível soltura de Lula.
 
A canalhice de Moro, já bastante conhecida, não é surpreendente, nem a reação dos "magistrados" do TRF-4, que correram para impedir que Lula seja solto e muito menos o isolamento de Favreto, já achincalhado nas redes sociais pelas hienas fascistas e pelos boquirrotos que apoiam a Farsa a Jato. Nada mais surpreende num país tomado pelo Golpe, em que as instituições são como massa de modelar, ajustando-se de acordo com as conveniências.
 
Se Lula será solto ou não ainda não se sabe, mas ficou claro para quem quiser reconhecer a realidade, que a prisão do ex-presidente responde há uma necessidade do Consórcio Golpista e não tem absolutamente nada a ver com a culpa ou inocência do mesmo, nos diversos processos que a Farsa a Jato move contra ele.
 
La vai a Terra Brazilis descendo a ladeira...