Cefas Carvalho

12/06/2018
Recordo que postei uma foto da atriz norte-americana Marylin Monroe, musa maior dos cinéfilos e de boa parte do Mundo Ocidental, lendo o clássico (e difícil) "Ulisses", de James Joyce duas vezes no Feicebuque, minha rede social preferida, uma há uns sete anos, outra há uns dois, no álbum Leitores/Leitores. Nas duas vezes a foto atraiu comentários irônicos sobre se a musa teria realmente lido este e qualquer outro livro "difícil" ou não.
 
No mesmo álbum, há uns 3 anos postei uma foto da funkeira carioca Valeska Popozuda lembro Madame Bovary. Diversos comentários debochados surgiram.
 
Lembrei das fotos e dos comentários após o episódio de gente questionando Lula ter lido diversos livros na prisão política em que se encontra.
 
Não é preciso complexidade para entender: Para muita gente - gente branca, bonita, bem nascida e criada, claro - loiras, funkeiras, imigrante nordestino não sabem ler. Pior: Não podem ler. Não deveriam ler.
 
Um elitismo (sim, crianças, preconceito de classes existe sim) mal disfarçado e que quase sempre vem à tona nos famigerados comentários de internet. 
Capítulo a mais da tragédia social brasileira, dos estados civilizatórios que estamos (ou não).